Feira de Santana
+30...+30° C
Dólar:   R$ 3,243
Euro:   R$ 3,808
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Feeds

Geral

todas as notíciasseta


Consumidor deve ter cuidado com alimentos e exigir direitos

Alguns supermercados costumam reduzir os preços de alimentos que se aproximam de sua data de validade


16/07/2017 às 10:54h

Consumidor deve ter cuidado com alimentos e exigir direitos
Crédito: Reprodução

Fazer compras em supermercados faz parte da rotina do consumidor, que precisa estar atento aos seus direitos na hora de comprar nesses estabelecimentos, principalmente em determinadas situações. Para isso, a superintendente de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), Suzana Mendes, alerta os consumidores sobre o que deve ser levado em conta nestas ocasiões. “Se for um produto de fabricação, ele deve ter sempre o prazo de validade, é a garantia de que aquele produto pode ser consumido, ele está dentro de um prazo que garante segurança.


Outra observação é com relação à embalagem, isso acontece muito na seção de peixes, quando fazemos a fiscalização detectamos bastantes produtos com a embalagem violada. Ainda que o produto aparente esteja em bom estado, o fabricante só garante aquele produto quando está fechado”, diz a superintendente Mendes.


Suzana Mendes acrescenta: “A sua garantia é a nota fiscal, por que te garante a troca, esses produtos têm um período de garantia, então se o consumidor efetuar a compra e detectar que esse produto está vencido, ele tem o direito de trocá-lo. Se o consumidor chegar a consumir esse produto, a situação já muda, se esse produto fizer mal, o consumidor tem direito a danos morais”.


OBSERVAÇÃO


Juracy Carneiro, de 64 anos, é bancário, conta que ao realizar suas compras mensais, os primeiros critérios a observar é o preço. “A primeira coisa que eu observo é o preço do produto, sempre levo o produto que está com preço bom. Depois verifico o prazo de validade. Tenho o maior cuidado de não consumir produto estragado”, relata.


A dona Maria José, aposentada, explica que quem faz a feira de casa é ela e suas observações estão relacionadas ao prazo de validade e a aparência do produto. “A primeira coisa que eu observo é o prazo de validade. Se o produto estiver perto de vencer, eu não levo de jeito nenhum. Outra coisa é a aparência do produto. Eu verifico a cor da carne, por exemplo, sinto o cheiro do produto. Tenho o maior medo de consumir coisa estragada”, fala a dona de casa.


Alguns supermercados costumam reduzir os preços de alimentos que se aproximam de sua data de validade. A prática não é ilegal, mas é preciso atenção na hora de aproveitar esse tipo de promoção. O consumidor pode ser induzido a comprar uma grande quantidade do produto para aproveitar o preço. Nesse caso, o cliente corre o risco de não conseguir consumir os alimentos dentro do prazo de validade, gerando prejuízo.


O proprietário de um mercadinho de bairro, Diego Nunes conta que tem muita atenção ao deixar produtos vencidos nas prateleiras. “Eu como proprietário, procuro sempre está observando as prateleiras do meu mercadinho, sempre retiro os produtos que estão perto de vencer. E aqueles que estão com dois ou três meses perto do prazo, eu coloco em promoção, já para evitar que ele vença nas prateleiras, mas sempre informo a meus clientes antes da compra”, conta o empresário.


A superintendente explica que caso o consumidor se sinta lesado ou tenha passado por alguma situação em que se sentiu prejudicado, deve realizar a denúncia através do telefone (75) 3603- 2800 ou na sede do Procon. A partir disso, a queixa será encaminhada à equipe de fiscalização do órgão. Em seguida, os fiscais se dirigem até o estabelecimento e, caso seja constatada a irregularidade, o supermercado é autuado e o consumidor ressarcido.


Os riscos de consumir o produto estragado


Ainda é comum, consumidores comprarem alimentos e ao abrirem para ingerir verificarem que não estão próprios para o consumo pelos mais variados motivos. Em decorrência desses problemas, muitos consumidores ficam preocupados com a saúde preferem produtos naturais a industrializados, no entanto tem hora que não dá para fugir.


VIGILÂNCIA


Verificar cor, odor e textura, assim como a procedência, data de validade, temperatura de armazenamento e a integridade da embalagem. Essas são as recomendações básicas da Vigilância Sanitária Municipal de Feira de Santana para o consumidor que vai comprar produtos perecíveis, mas foi surpreendido pelas irregularidades.


A engenheira de alimentos da vigilância sanitária, Graziela Brandão, conta como funciona essa inspeção nos estabelecimentos de Feira de Santana. “A primeira coisa a ser observada é o alvará sanitário, nós somos os olhos da população, então nem todo mundo está ali dentro para saber como funciona, nós que vamos até o estabelecimento fiscalizar. O que observamos é a temperatura dos alimentos, a data de validade, se existe alimentos clandestinos, como esses alimentos estão armazenados e a estrutura física do estabelecimento”, explica Graziela Brandão.


Ela acrescenta: “quando nós detectamos a não regularidade, notificamos o estabelecimento, damos um prazo para que o dono possa cumprir as adequações, realizamos também apreensões de alimentos fora do prazo de validade”.


Se o consumidor está com receio de consumir ou tem alguma dúvida sobre a procedência ou qualidade do produto que tem em casa, pode ligar para a Vigilância Sanitária pelos telefones: 3612-6600 | 3625-1068 e solicitar o recolhimento da peça para que seja feita análise da mercadoria, orienta Graziela Brandão. 

FONTE: Da Redação
REPORTAR ERROREPORTAR ERRO

TVGeral

Confira programa com entrevista artistas e personalidades por Lusitania Mel.
Publicidade
Mamãe 6 estrelas
Bruno Best Travel
PMFS RUA VIVA
Vilage Marcas e Patentes
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia
Ornamentação e Decoração de Festas