Como pensa O Metropolitano

Em Busca da RazãoFeira de Santana

Como pensa O Metropolitano

EDITORIAL DA SEMANA

Crédito: Carlos Augusto/ Jornal Grande Bahia

Na visão do Jornal "O Metropolitano - Em Busca da Razão" nossos parceiros, companheiros e anunciantes, o Centro de Abastecimento é um equipamento do município gerador de emprego, trabalho e renda para inúmeras  famílias de baixa renda, que não pode, pela importância que ele representa para o município, desde quando ele resgata a nossa feira livre que deu origem à nossa cidade, ser relegado a um plano secundário, jogado às traças pelas últimas administrações que passaram pelo Paço Municipal, um espaço que poderia ser mais bem aproveitado para venda no varejo e o consequente fortalecimento  da agricultura familiar

Diante do grande índice de desemprego que assola o nosso país, a revitalização do Centro de Abastecimento, com a transformação daquele equipamento em uma grande referência de venda no varejo, é o ponto mais adequado para a comercialização de produtos da agricultura familiar, consequentemente, melhorando o poder de ganho das famílias que vivem trabalhando no campo no cultivo do solo, além de ampliar significativamente as oportunidades de emprego e renda para as famílias de menor poder aquisitivo. 

Com a construção de um CEASA regional e a consequente retirada do comércio atacado que é praticado dentro de suas instalações e em todo o entorno daquela artéria da cidade, o local tende-se em se tornar uma área atrativa ao comércio varejista que pode vir a se tornar uma das maiores concentrações na prática do varejo nas regiões norte e nordeste do país. 

Desde quando temos ao seu lado o Shopping Popular, uma construção planejada e de porte que deu uma nova e merecida feição ao centro comercial da cidade em todos os sentidos. O caminho que nos parece mais indicado para dar uma solução definitiva ao impasse existente é a formação de um novo "PACTO", reunir as partes interessada para tratar do assunto. "A exemplo do 'PACTO DA FEIRA", que resultou na formação de uma Parceria Publica Privado (PPP) com a finalidade de construir o Shopping Popular, um espaço digno para alocar os camelôs, cujo comércio ambulante que infestavam as vias centrais da cidade passava um aspecto de favela bem no coração da "PRINCESA".

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 03 Julho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/

Cron Job Iniciado