Ponto e Vírgula 08/04/2023

Ponto e Vírgula 08/04/2023

Sobe - Projeto Câmeras Interativas por ampliar segurança da população.

Desce - PGR por mudar posição e pedir rejeição de sua própria denúncia contra Lira.

Petrobras

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, afirmou que a União, principal acionista e controladora da Petrobras, vai propor uma nova política de preços para a companhia com o objetivo de ajudar "a combater perdas e solavancos inflacionários". "Vamos tratar isso com todo rigor, cuidado e sensibilidade social", afirmou Silveira a jornalistas, no Palácio do Planalto, após se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o ministro, a ideia é que uma nova política de preços comece a ser discutida assim que tomarem posse todos os integrantes dos conselhos que dirigem a companhia, o que está previsto para o fim deste mês.

Roma

O presidente estadual do PL, João Roma, não descarta concorrer a cadeira do Palácio Thomé de Souza no pleito de 2024. O ex-ministro da Cidadania avaliou como "natural" a possibilidade de se candidatar à Prefeitura de Salvador e deixou claro que este era o seu "desejo". "Eu desejo, sim, essa candidatura, pois tenho uma relação muito próxima com a cidade de Salvador. Seria natural uma candidatura minha à Prefeitura de Salvador, mas isso não exclui a possibilidade da realização de entendimentos", disse Roma, na noite de quarta-feira (5).

Nilo

O ex-deputado federal Marcelo Nilo (Republicanos) foi nomeado pelo prefeito de Salvador, Bruno Reis, para exercer o cargo de assessor especial IV, grau 58, na Secretaria de Governo (Segov), que é comandada por Cacá Leão (PP). Segundo o Portal da Transparência, o ex-parlamentar vai receber no cargo um salário mensal bruto de R$ 24,3 mil. Nilo, que não alcançou a reeleição no pleito eleitoral do ano passado, tentou concorrer à vaga de conselheiro no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), mas acabou desistindo da disputa pela oposição da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba).

Retrocessos

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse à Folha que os decretos assinados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para revisar o marco do saneamento geram retrocessos e afirmou que as mudanças necessárias para o setor precisam ser feitas pelo Legislativo para alterar a legislação. "Eu defendo a revisão da lei. A lei deixou muitas brechas para abusos nos estados. E o decreto traz retrocessos que precisam ser avaliados", declarou o presidente da Câmara.

Combate a violência

O ministro da Secretaria de Comunicação, Paulo Pimenta, anunciou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criará um grupo de trabalho interministerial para propor ações de combate à violência na sociedade e promover a cultura de paz nas escolas. A ação está sendo utilizada em virtude da morte de quatro crianças em um ataque em Santa Catarina. "A ideia é valorizar na sociedade uma cultura da paz, uma cultura de não violência. O governo federal não tem, sob a sua administração, escolas. As escolas e creches são de gestão municipal e estadual, nossa área de segurança é outra. Então, nós vamos ver como a gente pode [contribuir]", afirmou.

Janja

A primeira-dama, Janja Silva, publicou um vídeo em suas redes sociais informando a população feminina que o Ministério das Mulheres possui um número para contato através do aplicativo WhatsApp. "Passando pra dar um recado super importante pra todas as mulheres: o Ligue 180 agora está no WhatsApp! O (@mindasmulheres) lançou hoje, o número (61) 9610-0180 e, por ele, a gente pode denunciar diversos tipos de violência contra a mulher, de forma rápida e objetiva", escreveu Janja, em seu perfil do Twitter.

Slogan

Prestes a completar 100 dias, o governo Lula prepara um slogan específico para marcar o período. O mote, segundo o colunista Igor Gadelha, do site Metrópoles, será a expressão "O Brasil voltou", com uso adaptado por todos os 37 ministérios. O evento que marcará os 100 dias acontece na segunda-feira (10), com todos os ministérios e discurso de Lula transmitido ao vivo. Na segunda-feira (3), o presidente reuniu o gabinete para cobrar não só as ações realizadas até aqui como uma projeção para a atuação das pastas no restante do ano e do quadriênio de toda a gestão.

Muita fome

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) comprou mais de 21.447 lanches com cartão corporativo em viagens durante campanha em 2022. As informações são do site UOL, que informou na quarta-feira (5), ter recebido notas fiscais que comprovam as transações com um valor total de R$ 754 mil. Segundo informações, os lanches não foram pagos para alimentar apenas a equipe de segurança e assessores do na época presidente, totalizando cerca de 20 pessoas durante as viagens. Nos trajetos, o cartão de Bolsonaro também comprou "kits-lanche" encaminhados a militares e policiais que apoiavam a segurança a motociatas, comícios, cultos religiosos e outros. 

Veja também:

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 14 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/