Ponto e Vírgula 14/03/2023

Ponto e Vírgula 14/03/2023

Sobe - CMDI por completar 20 anos com mais de 700 mil atendimentos realizados.

Desce - Estados que não forneceram dados sobre violência contra as mulheres, em descumprimento à Lei de Acesso à Informação.

Água Para Todos

O ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), revelou que o governo pretende lançar o programa "Água Para Todos" nos próximos dias. De acordo com o petista, o projeto "reunirá todos os investimentos voltados para a água potável". Rui Costa esteve com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para tratar do assunto. De acordo com o ministro, foram feitas reuniões para facilitar o diálogo entre os setores públicos e privados.

PAC

Após conversar com governadores, o governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT), tem feito rodadas com prefeitos para recolher sugestões e pedidos de inclusão de projetos na nova versão do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento), que deve ser lançada em abril. O recado aos administradores municipais é que a retomada de obras paradas e o investimento em projetos ligadas à pauta verde têm mais chances de emplacar no projeto.

PP

O secretário de Governo da Prefeitura de Salvador e ex-deputado federal, Cacá Leão (PP), afirmou ao podcast In Off Cast que respeita os deputados estaduais do seu partido que voltaram a apoiar a base do governo de Jerônimo Rodrigues (PT) na Alba. Segundo Cacá, ele espera respeito por parte dos deputados do PP baiano que voltaram para os braços do governo. "Eu respeito a decisão de cada um. Ganharam a eleição, tem direito de fazerem a movimentação que quiserem. Os deputados resolveram voltar e nós respeitamos. Espero que eles respeitem a minoria de cá que não quer e não vai voltar", ressaltou o ex-parlamentar.

PRF

O Governo Federal promoveu mudanças em todas as superintendências regionais da Polícia Rodoviária Federal (PRF). A medida foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), ontem (13). Quem assume o comando da corporação na Bahia é Vagner Gomes da Silva. Ele é policial há mais de 25 anos e bacharel em Segurança Pública. Na PRF, atuou em Paulo Afonso, Simões Filho, NOE (Núcleo de operações especiais) e foi Chefe de Policiamento e Fiscalização em Feira de Santana. Já foi 1º Tenente da Polícia Militar da Bahia e atuou em várias áreas operacionais na PRF.

Dilma de calça

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) declarou que Rui Costa, ministro da Casa Civil, é a sua "Dilma de calça". A fala ocorreu durante a cerimônia do lançamento do novo pacote de bondades do governo federal. "Eu encontrei um cara para a Casa Civil que falei: 'É a minha Dilma de calças' […] Se ele percebe que alguém está dizendo o que não deve dizer, ele fala: 'Espera aí, vamos voltar a conversar'. Então eu estou com muita tranquilidade", afirma o petista.

Gordura

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), afirmou ontem (13), que "gordura" que o resto do mundo não tem viabiliza corte de juros no Brasil. O ministro considera também que há pouco espaço para aumento de taxa de juros no mundo diante de um cenário de turbulência internacional. "Diria que tem uma gordura no Brasil que permite a nós, tomando as providências que estão sendo tomadas [pela equipe econômica] e vêm sendo reconhecidas pelo Banco Central nas atas que divulga, penso que temos espaço [para corte de juros] que o mundo não tem", disse Haddad em evento promovido pelos jornais O Globo e Valor Econômico sobre a reforma tributária e os desafios econômicos do Brasil.

Exército

Além de peça-chave para a tentativa de golpe de Estado, em 8 de janeiro, o acampamento de apoiadores de Jair Bolsonaro (PL), em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília, trouxe prejuízos financeiros aos cofres da União. O Comando Militar do Planalto precisou colocar 200 homens a mais em prontidão e realizar patrulhamentos na área do QG para controlar o ato, o que gerou um custo adicional de quase R$ 400 mil.

Exército I

Os manifestantes começaram a ocupar a área do Setor Militar Urbano em 31 de outubro, um dia após Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ter sido escolhido presidente da República pela maior parte da população. A partir daquela data, os radicais foram ampliando o acampamento com ajuda de financiadores e apoiados por discursos de políticos aliados ao candidato derrotado nas urnas. Foram 70 dias de ato, com custos acima de R$ 5 mil por dia ao Exército. 

Veja também:

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 02 Março 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/