Pastor é preso suspeito de estuprar quatro filhas e engravidar uma delas

BrasilRio Grande do Sul

Pastor é preso suspeito de estuprar quatro filhas e engravidar uma delas

A prisão preventiva do homem ocorreu na quarta, 24 

Crédito: Divulgação

Um pastor evangélico de 40 anos foi preso por suspeita de estuprar quatro filhas e engravidar uma delas no município de Portão, no Rio Grande do Sul.

A prisão preventiva do homem ocorreu nesta quarta-feira (24), dois dias após uma denúncia anônima sobre a situação das meninas ser feita ao disque-denúncia e ao Conselho Tutelar do município.

Segundo a Polícia Civil do Rio Grande do Sul, após a denúncia, uma equipe foi até a casa das vítimas e as levou para prestar depoimento na delegacia.

Além das quatro vítimas, que têm entre 12 e 17 anos - e revelaram os abusos, também moravam na casa do pastor a irmã mais velha delas, uma jovem de 19 anos que não quis prestar depoimento, e a mãe delas, uma mulher que não foi identificada e confessou que sabia dos crimes.

"Todas confirmaram os abusos, inclusive deram detalhes. A mãe confirmou que viu há três meses a filha de 12 anos chorando, foi até ela para ver o que era, e antes disso viu o marido saindo de dentro do quarto da filha", explicou à reportagem o delegado responsável pelo caso, Marcos Mesquita.

O delegado disse, ainda, que a mãe das vítimas perguntou ao marido sobre os abusos e que ele teria negado a princípio, mas confessado depois. "Ela também falou que há um ano soube que ele vinha abusando da filha de 12 anos e também falou que soube que o produto de um dos abusos da filha de 17 anos dela resultou em um neném", disse Mesquita. O delegado também pediu a prisão preventiva da mulher por omissão, mas o pedido não foi aceito pela Justiça.

O suspeito também prestou depoimento e negou o estupro das filhas mais novas, mas disse que manteve relações sexuais com a garota de 17 anos "porque ela quis". "Ele disse que teve apenas uma relação com ela, que ela engravidou e que o filho dela é filho e neto dele", afirmou o delegado.

Segundo a Polícia Civil, duas ocorrências relativas a abusos sexuais já tinham sido registradas contra o pastor anteriormente. Uma delas em 2007, no município de Estrela (RS), onde ele teria "agarrado uma moça", e outra em Humaitá (RS), onde ele teria abusado de uma menor de idade em 2002.

As quatro vítimas, assim como o bebê de uma delas, foram encaminhadas para um abrigo em Novo Hamburgo, também no Rio Grande do Sul. A mãe das garotas continua em casa com a filha mais velha.

A Polícia aguarda laudos periciais para comprovar o abuso sexual cometido contra as outras crianças e o resultado de DNA que deve comprovar a paternidade do filho da garota de 17 anos.

A reportagem procurou o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul em busca do contato da defesa do pastor preso, mas o órgão informou que nenhum detalhe sobre o assunto será divulgado porque o processo corre em segredo de Justiça. O nome dele não foi divulgado pela polícia para preservar as vítimas. 

 

Comentários: 1

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Visitante - J. Cícero Alves em Domingo, 28 Agosto 2022 03:54

Mais um fato, realmente, de causar intensa repulsa social.

Abusar de suas filhas, o pai que deveria resguardá-las e protegê-las, é uma verdadeira monstruosidade.

Já passou da hora de exigirmos do Congresso Nacional a eliminação definitiva de estupradores do país, pelo acréscimo na Constituição Federal do instituto da pena de morte para esse tipo penal !!

Mais um fato, realmente, de causar intensa repulsa social. Abusar de suas filhas, o pai que deveria resguardá-las e protegê-las, é uma verdadeira monstruosidade. Já passou da hora de exigirmos do Congresso Nacional a eliminação definitiva de estupradores do país, pelo acréscimo na Constituição Federal do instituto da pena de morte para esse tipo penal !!
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Terça, 21 Mai 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/