Secretaria de Educação comenta problemas no concurso para professores

Concurso e EmpregoProva remarcada

Secretaria de Educação comenta problemas no concurso para professores

Anaci Paim disse que empresa se equivocou e adicionou competências extras

Crédito: Mário Sepúlveda/FE

A seleção para preenchimento de vagas temporárias de professores da rede municipal de Feira de Santana, em Regime Especial de Direito Administrativo (REDA), que foi cancelada no último domingo (17) e remarcada para o próximo domingo (24) e que tem gerado repercussão, principalmente, na internet, após vídeos onde candidatos apontando discordância entre as questões da prova e a previsão do edital viralizaram, se transformou em grande polêmica, projetada amplamente na mídia estadual.

A secretária municipal de educação, Anaci Paim, diz que divulgaram o edital, onde estabelecia todas as condições do concurso e os conteúdos, mas a empresa se equivocou e adicionou competências extras.

"A empresa, ao invés de apenas colocar conteúdos específicos, também colocou português e matemática. Claro que o professor de pedagogia também trabalha com português e matemática, porque ele é um generalista, mas não estava a previsão dessa abordagem no edital. Só ficamos sabendo a partir da reclamação dos candidatos, pois a prova vem lacrada em sigilo, onde ninguém pode ter acesso a prova antes, somente a banca. Após a reclamação dos candidatos, decidimos cancelar a prova. No mesmo momento, no domingo, nós estávamos com a comissão acompanhando, reunimos com o procurador geral do município e fizemos todos os procedimentos para fazer a atualização para aplicação dia 24 de setembro", explica.

Sobre a má reputação da empresa MS Concurso na internet, onde há centenas de reclamações feitas por candidatos de processos seletivos que foram aplicados em vários municípios, a secretária diz: "A empresa apresentou um conjunto de capacidade técnicas é o que a gente avalia, documentos. Temos o atestado de capacidade técnica e também ela tem 30 anos de experiência na área. Quanto a outras situações apontadas, podemos apurar, mas não foi motivo de anulação", justifica.

Ainda sobre a totalidade das vagas, a gestora salienta que não são vagas para concurso e sim para seleção. "Essa vaga não é de concurso e sim seleção. As vagas que nós ofertamos no REDA é vaga para substituir pessoas que tiveram afastamento por motivo de saúde e readaptação. Foram 80 vagas porque foram 81 professores que estavam afastados. Lembrando que são vagas temporárias, porque quando acaba o período da licença, o professor volta", esclarece.

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 20 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/