Comércio de Feira pode gerar cerca de 2 mil empregos temporários até o São João

Comércio de Feira pode gerar cerca de 2 mil empregos temporários até o São João

De acordo com o Sicomfs, cerca de 60% da mão-de-obra deve ser absorvida após o período.

Foto: Mário Sepúlveda/ FE

O mês de junho representa um grande período de vendas no comércio de Feira de Santana, em virtude dos festejos juninos no município e toda a região circunvizinha, além de datas comemorativas como o Dia dos Namorados, celebrado na quarta-feira, dia 12.

Diante dessa conjuntura, o Sindicato do Comércio de Feira de Santana (Sicomfs) espera que o comércio de Feira gere aproximadamente 2 mil empregos temporários até o São João. 

De acordo com Marco Silva, presidente do Sicomfs, desde o Dia das Mães, o centro comercial tem registrado grande movimentação nas lojas, o que estimulou a contratação de mão-de-obra. 

"A contratação de trabalhadores temporários, renovação dos estoques, os treinamentos de equipes foram realizados pensado em todo esse período. A contratação de mão de obra em Feira de Santana é de aproximadamente 2 mil pessoas neste São João, e a boa notícia é que desse total cerca de 60% acaba ficando integrada às equipes após esse período", estimou Marco Silva, em entrevista ao Folha do Estado.

Crescimento nas Vendas

Sobre o crescimento das vendas, o Sicomfs estima um aumento em torno de 5,5% até o final de junho.

"Estamos trabalhando com um número bastante realista, pois aqueles períodos onde tínhamos um salto grande e depois um saldo negativo passou, uma vez que a economia e o emprego estão mais estabilizados, com crescimento constante. Então estamos prevendo um aumento de 5.5% nas vendas neste período."

Horário Estendido

Ele destacou que o acordo entre o Sindicato do Comércio e dos Comerciários, ampliando o horário de funcionamento das lojas, até o dia 23 de junho, de 8h às 20h, de segunda a sexta, contribuiu para a ampliação da mão de obra temporária.

"No total são 12 horas, e isso vai gerar uma contratação para que se cumpra essa jornada, porque um mesmo trabalhador não pode ultrapassar o horário, só em casos muito excepcionais, que não é o caso de São João nem Namorados, porque são datas já programadas. Então a jornada do trabalhador é de 8 horas, com o máximo de ampliação de 2 horas, que pode ser computado no banco de horas, mas não pode passar disso. Então se o comércio tem neste mês 12 horas de funcionamento, e o trabalhador só pode cumprir 8 horas, então entendemos que vai se precisar contratar mais trabalhadores. Esse é o pensamento que nós temos quando fazemos esses acordos: gerar emprego e renda", afirmou.

Conforme o presidente do Sicomfs, vale salientar que a realização do Arraiá do Comércio tem atraído consumidores de Feira e toda a região para centro da cidade, e assim como em 2023, a expectativa é que as vendas sejam maiores até que o registrado no final do ano.

"Essa é uma festa já tradicional em Feira de Santana, até o dia 16 de junho, com festividades no centro das 10h da manhã até as 22h, então mesmo o comércio fechando às 20h, os comerciários ainda podem aproveitar. O que pedimos é que tenhamos, assim como no ano passado, um São João de vendas muitas boas, um período em que empresários e gerentes relataram que venderam até mais que no Natal, e houve um grande movimento no centro da cidade."

Veja também:

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 25 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/