Bebê prematuro aguarda na fila da regulação para realizar cirurgia de urgência

GeralFeira de Santana

Bebê prematuro aguarda na fila da regulação para realizar cirurgia de urgência

Criança precisa de uma neurocirurgia de urgência 

Crédito: Jorge Magalhães/Secom/PMFS
Internado há 57 dias na Unidade de Tratamento Intensiva do Hospital da Mulher, o bebê, filho de Marcele Neves da Costa, aguardando regulação para realização de uma neurocirurgia de urgência por causa de um quadro de hemorragia intracraniana grau 3 com dilatação ventricular e aumento progressivo do perímetro cefálico.

"Tive um bebê de 27 semanas de gestação (prematuro extremo) e ele tem um mês e 27 dias internado na UTI neonatal do Hospital da Mulher, em feira de Santana. Desde o dia que ele nasceu recebi todo suporte hospitalar, porém ele foi diagnosticado com hidrocefalia, com acúmulo de líquido na cavidade cerebral. O perímetro encefálico dele cresce a cada dia e precisamos de uma transferência para um hospital com serviço de neurocirurgia. Estamos passando por um momento difícil, todo dia uma coisa diferente, não é nada fácil. Precisamos muito de ajuda, de uma vaga. Me dói muito ver meu filho nesta situação", apela a mãe.
'Precisamos muito de ajuda, de uma vaga. Me dói muito ver meu filho nesta situação', apela a puérpera | Crédito: Divulgação

Como funciona o sistema de Regulação de pacientes

A Regulação de pacientes é uma ferramenta de democratização do acesso, dando o mesmo direito a ser internado nos Hospitais Gerais do Estado. A decisão de internação será pautada na gravidade do caso e não pela proximidade. É um sistema criado para gerir vagas hospitalares e outras necessidades de pacientes dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), utilizando critérios internacionalmente estabelecidos.

Antes de ser criada a Regulação, os pacientes rodavam de porta em porta, dentro de ambulâncias ou pessoalmente, buscando uma vaga que, muitas vezes, não era em uma unidade com o perfil adequado para tratar aquela pessoa ou era uma unidade em que não existia a vaga. Entretanto com a demanda maior que o número de vagas ofertados, forma-se as tradicionais filas da regulação. A classificação de risco é uma ferramenta utilizada nos serviços de urgência e emergência, voltada para avaliar e identificar os pacientes que necessitam de atendimento prioritário, de acordo com a gravidade clínica, potencial de risco, agravos à saúde ou grau de sofrimento.

As unidades seguem protocolos internacionais, como o Protocolo de Manchester, no qual classifica o paciente como Emergência (Vermelho), Muito Urgente (Laranja), Urgente (Amarelo), Pouco Urgente (Verde) e Não Urgente (Azul). 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 23 Março 2023

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/