Cesta básica em Feira de Santana fica 6,42% mais cara em março

GeralSaiba mais

Cesta básica em Feira de Santana fica 6,42% mais cara em março

Relação de produtos registrou aumento de 9,35% para primeiro trimestre

Crédito: Divulgação

O valor da ração essencial mínima, definida pelo Decreto-Lei Nº 399, de 30 de abril de 1938, que estabelece 12 produtos alimentares (arroz, feijão, farinha, carne, legume, fruta, óleo, café, leite, açúcar, pão e manteiga) e suas respectivas quantidades, passou a custar R$ 576,65 no mês de março de 2024, em Feira de Santana. Este valor representa um aumento de 6,42% em comparação ao mês de fevereiro e de 9,35% quando observado o primeiro trimestre do ano, segundo o estudo 'Conhecendo a economia feirense: custo da cesta básica e indicadores socioeconômicos', da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

O tomate, que representa as verduras na cesta, foi o vilão do mês com aumento de 34,26%, seguido pela banana-prata, que registrou elevação de 13,65%, dando continuidade a uma tendência de alta já observada nos últimos meses. Além desses produtos, foram observados aumentos nos preços da farinha (3,85%), açúcar (3,36%) e, em menor proporção, do pão e da manteiga, 1,92% e 0,72%, respectivamente. Os demais seis produtos que compõem a cesta apresentaram queda nos seus preços, com destaque para o óleo de soja (-3,81%), o leite (-2,81%), o arroz (-1,95%) e o feijão (-1,25%).

No último trimestre de 2024, a cesta básica em Feira de Santana registrou aumento de 9,35%. Nesse período, dez dos doze produtos que compõem a cesta apresentaram elevações em seus preços. A banana-prata foi o produto com a maior alta (33,25%), seguida pelo tomate (26,14%) e o arroz (9,8%). Já nos últimos 12 meses (março de 23 a março de 24), a alta acumulada foi de 6,44%, com 6 produtos apresentando majoração dos preços.

Os destaques, tal como no trimestre, foram a banana (54,73%), o arroz (27,73%) e o tomate (21,57%). Os alimentos que se destacaram com queda em seus preços foram: o óleo de soja (-21,34%), o leite (-13,66%), o feijão (-12,97%) e a carne (-8,97%).

Com relação ao comportamento do valor da cesta básica em Feira de Santana nos últimos 12 meses, pode-se observar períodos de elevação e de redução no valor da cesta, destacando-se a queda contínua de junho a outubro de 2023, seguida por elevação até março de 2024, mais acentuada a partir de janeiro.

Em março, os alimentos do almoço tradicional do cidadão feirense – arroz, feijão, carne e farinha – foram responsáveis por 34,58% do custo da cesta básica. Por sua vez, o café da manhã – composto por pão, manteiga, leite, café e açúcar – representou 32,70% do custo da cesta. Individualmente, a carne permanece como o item que mais pesa na sacola de compras do feirense. Com a aquisição da carne, o feirense gasta 20,74% de todo o valor destinado à alimentação, seguido pelo tomate, banana e o pão, responsáveis por, respectivamente, 16,07%, 15,48% e 15,47% da despesa com a compra da cesta básica.

No que se refere à participação dos alimentos da cesta no salário mínimo líquido vigente (salário mínimo descontada a contribuição previdenciária), constata-se que o trabalhador de Feira de Santana comprometeu 44,15% do seu ganho com a aquisição dos 12 produtos em março. Trata-se de um comprometimento de 2,66 ponto percentual maior que o calculado em fevereiro (41,49%), reflexo do aumento da cesta verificado em março. Quanto ao tempo de trabalho gasto para a compra dos produtos da cesta, constata-se um dispêndio de 97 horas e 7 minutos.

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 18 Mai 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/