Feira de Santana sedia encontro de formação do Selo UNICEF

Geral9 de agosto

Feira de Santana sedia encontro de formação do Selo UNICEF

Tema será políticas de saúde e educação para crianças e adolescentes 

Crédito: Divulgação

Equipes municipais de 236 municípios baianos se reúnem com representantes do Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF), e seu parceiro técnico Centro Dom José Brandão de Castro (CDJBC), para fortalecer as estratégias municipais de enfrentamento ao abandono e exclusão escolar e garantir a aprendizagem, durante o Encontro pela Educação no Selo UNICEF - Fortalecendo políticas públicas para crianças.

Serão três encontros na Bahia: dia 9 em Feira de Santana, dia 17 em Vitória da Conquista e dia 30 em Salvador. Em Feira de Santana, o evento será realizado das 8h às 16h, na sede da Unex, antiga UniFTC.

De caráter formativo, o encontro reunirá técnicos das áreas de saúde e educação engajados no Selo UNICEF e na Busca Ativa Escolar, a fim de compartilhar experiências, realizar estudos de caso e aprofundar o aprendizado sobre as metodologias das duas estratégias com vistas a atuar nos municípios para reduzir desigualdades e garantir direitos de crianças e adolescentes. Evasão escolar, qualidade da educação infantil, importância da busca ativa vacinal, desenvolvimento da primeira infância e da proteção contra violências são alguns dos temas abordados no evento.

"Em momentos como esse fortalecemos nosso pacto com cada município, para buscar coletivamente cada menina e cada menino garantindo seu direito de estar na escola protegido, convivendo e aprendendo", destaca Verônica Bezerra, especialista em educação do UNICEF.

Em todo o Brasil, 29 encontros acontecem até 30 de agosto em 18 estados integrantes das regiões do semiárido e Amazônia brasileiros, reunindo mais de 5 mil técnicos de 2 mil municípios. Os encontros presenciais fazem parte da metodologia do Selo UNICEF que também inclui capacitações remotas e compartilhamento de conteúdo e instrumentos de forma contínua ao longo da edição.

Exclusão – O Brasil vinha avançando, lentamente, no acesso de crianças e adolescentes à escola nos últimos anos. Mas a pandemia de Covid-19 trouxe uma regressão de duas décadas. Em novembro de 2020, mais de 5 milhões de meninas e meninos não tiveram acesso à educação no Brasil, de acordo com estudos lançados pelo UNICEF. A pesquisa indicou que quase 1,5 milhão de estudantes não frequentavam a escola (remota ou presencialmente) e outros 3,7 milhões que estavam matriculados, não tiveram acesso a atividades escolares e não conseguiram se manter aprendendo em casa. 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 02 Outubro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/

Cron Job Iniciado