Empresa de Gal Costa tem dívida de R$ 738 mil em impostos

TV e FamososDívidas acumuladas

Empresa de Gal Costa tem dívida de R$ 738 mil em impostos

GMC Produções Artísticas tem como sócia a ex-empresária da cantora, Wilma Petrillo 

Crédito: Divulgação

A GMC Produções Artísticas, empresa que tem como sócias Gal Costa (1945-2022) e a ex-empresária da cantora, Wilma Petrillo, acumula uma dívida de R$ 738 mil em impostos.

A informação foi divulgada pelo portal UOL, que teve acesso exclusivo a detalhes dos débitos e considera dados da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, da Prefeitura de São Paulo e do Tribunal de Justiça do estado.

A reportagem analisou processos de cobrança e identificou dívidas com a União e a Prefeitura de São Paulo. Entre as ações estão débitos de ISS (Imposto Sobre Serviço), Taxa de Fiscalização de Estabelecimentos e previdenciários.

Os débitos com tributos previdenciários somam R$ 188.401,79, de acordo com informações da Fazenda Nacional. Já as dívidas com a prefeitura da capital paulista chegam a R$ 549.861,

Há duas cobranças referentes à taxa de coleta de lixo em aberto no TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo). Na primeira, de 2021, a prefeitura da capital paulista cobra R$ 21 mil. Na outra, protocolada em 2023, a cobrança é de R$ 24 mil.

Dívida com ISS (Imposto Sobre Serviço), tributo cobrado pelo município, chega a 486.633,63 — considerando o período de 2016 a 2020. "A Procuradoria-Geral do Município de São Paulo informa que todos os créditos inscritos em dívida ativa são objetos de cobrança, de forma judicial ou extrajudicial", respondeu a Prefeitura, após questionamento da reportagem.

A GMC Produções Artísticas foi criada em 21 de dezembro de 2012, com um capital social de R$ 30 mil. A situação cadastral da empresa, que está inscrita para atuar nas áreas de artes cênicas e espetáculos, consta como "ativa" no sistema da Receita Federal.

Segundo uma ex-funcionária ouvida por Splash, Gal era dona de 90% do negócio e Wilma de 10%. Ela, que atuava no departamento administrativo das empresas, afirma que era a artista quem decidia o que seria pago.79 — valores apurados até 1 de março de 2023.

O UOL mão conseguiu falar com a empresária, que também é a inventariante dos bens deixados por Gal.

Veja também:

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 19 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/