Ponto e Vírgula 02/12/2023

Ponto e Vírgula 02/12/2023

Sobe - Governo Federal pela liberação de R$ 4 bilhões tirando do sufoco as pequenas e médias cidades brasileiras.

Desce - Feira de Santana que, em pleno mês de Natal, não se encontra nenhum Papai Noel em lojas e nem nas praças.

Partido Liberal

O Partido Liberal, instalou ontem (1ª), o seu escritório político, na rua Comandante Almiro, nas proximidades da estação rodoviária. O espaço abriga o setor administrativo PL mulher, sala de reuniões e uma maior, para debates. Se instalaram em dois pavimentos. Os convites foram distribuídos durante esta semana, para lideranças políticas e imprensa, através do seu presidente, José Raimundo. O partido já está construindo chapa para eleição de vereador e, por recomendação do diretório nacional, Feira está entre as cidades que terá candidato a prefeito, o nome mais comentado na cidade é o do deputado federal, Capitão Alden, que obteve uma boa votação na eleição passada, no município.

Recado

A Coelba, que é da Neoenergia e em 2026 terá vencido seu contrato de distribuição, levou um pito público do governador Jerônimo Rodrigues (PT). "Por onde a gente vai tem reclamação da Coelba. Para vocês terem uma noção, nós temos escolas prontas, mas falta a Coelba ligar a energia. Nós temos hospital, temos policlínica. Então eu estou aqui mandando um recado, sim", disse o petista.

Capitão Alden

O deputado federal Capitão Alden, questionado sobre ser candidato a prefeito, em Feira de Santana, pelo Partido Liberal (PL), disse que há um projeto de partido que deseja ter candidato a prefeito em 1.500 municípios brasileiros. E Feira de Santana, pela sua importância, está incluído. "Encaro como uma missão e estou pronto em qualquer município, pois fui votado em todos os 417 da Bahia", declarou Alden. Sobre a polarização que há no município [José Ronaldo e Zé Neto] há mais de 20 anos, diz que a cidade clama por um novo nome, por uma possibilidade de mudança e que é provável que seja candidato, mas que está ouvindo primeiro para depois decidir. (BahiaNaPolítica).

Comissão de cultura

A Comissão de Cultura da Câmara Municipal de Feira de Santana vai realizar, em breve, uma discussão sobre o estado em que se encontra o patrimônio arquitetônico da cidade. O assunto foi abordado pelo presidente do órgão legislativo, vereador Jhonatas Monteiro (PSOL), durante pronunciamento na tribuna da Casa, esta semana. A comissão é composta pelo vice-presidente Petrônio Lima (Republicanos) e Professor Ivamberg (PT), membro. Jhonatas disse que muitos imóveis de valor memorial da cidade, a exemplo do Casarão de Dona Pomba, no bairro Rua Nova, e de alguns situados na rua Conselheiro Franco, estão sem conservação e abandonados.

ACM Neto

ACM Neto, ex-prefeito de Salvador, está pronto para desempenhar uma "tripla jornada" em seu partido, o União Brasil, no próximo ano eleitoral. Mesmo diante da nova liderança do partido, com a transição de Luciano Bivar para o advogado Antônio Rueda, na presidência, Neto manterá seu papel como secretário-geral da sigla e presidente da Fundação Índigo, responsável pela formação política no âmbito do União. Essas posições estratégicas o colocam em uma posição de destaque nas coordenações do partido para as eleições municipais. Além das responsabilidades partidárias, ACM Neto também assumirá naturalmente um papel ativo nas campanhas de aliados na capital baiana e no interior do estado.

Nos Emirados

Em agenda nos Emirados Árabes, o governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), reuniu-se com possíveis investidores ontem (01). O ministro da Casa Civil e ex-governador do estado, Rui Costa (PT), também participou do encontro. Ontem, petista visitou uma plantação de tâmaras, "com o objetivo de levar a produção da fruta para o semiárido baiano". "A Missão Emirados Árabes Unidos começa com mais um passo na transformação da realidade do semiárido baiano. Visitamos uma plantação de tâmaras da Al Foah, a maior exportadora mundial da fruta", escreveu no Twitter. Com a viagem de Jerônimo, o vice Geraldo Júnior (MDB) está interinamente à frente do governo.

Partidos nanicos

Em busca de um meio-termo entre Legislativo e Judiciário, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), articula a votação de um projeto de lei como alternativa à PEC do Senado que limita as decisões monocráticas do STF. O projeto em questão foi protocolado no final de julho de 2023 pelo vice-presidente da Câmara, Marcos Pereira (Republicanos-SP), e é relatado pelo deputado federal Alex Manente (Cidadania-SP). Em seu parecer, o relator propõe limitar a atuação de partidos nanicos no STF, impedindo siglas que não alcançaram a cláusula de desempenho de protocolar ações de controle de constitucionalidade na Corte. E alguém pode chamar o relator de "bombardeado", e justifico, se a intenção está para limitar as interpretações a qualquer custo, do STF, como é que ele inclui a abertura para que o STF possa impedir siglas que não alcançarem a cláusula de desempenho? Ôh deputado, por que o senhor não entra com uma PEC e didaticamente, define a situação? Eu não chamo, nem chamarei a excelência de "bombardeado", mas, por aí, muitos podem chamar...

União Brasil e PP

Um passo de cada vez. Com uma tentativa frustrada anteriormente, a federação entre o Progressistas e o União Brasil é vista como em "estágio inicial" pelo presidente estadual do União Brasil, deputado federal Paulo Azi. O parlamentar revelou que o debate ainda necessita de tempo para ocorrer. "Houve as conversas no passado, naquela época existia uma possibilidade disso ocorrer, a coisa não aconteceu. Agora, algumas lideranças da parte do PP e Republicanos têm voltado a tratar do assunto, mas ainda de maneira informal. Na nossa parte, a coisa está em um estágio ainda inicial. Não tem nada que nos leve a uma ação concreta", reforçou.

Liberou

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) liberou cerca de R$ 17 bilhões em emendas parlamentares nas vésperas de votação de pautas econômicas e essenciais para o funcionamento do Executivo. É o que aponta um levantamento da ONG Contas Abertas feito com exclusividade para a CNN. A reforma tributária foi a matéria que, de longe, mais custou aos cofres públicos. Para aprovar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) na Câmara dos Deputados, o governo destinou R$ 8,6 bilhões. Desses, R$ 5,3 bilhões foram empenhados apenas no dia 5 de julho, véspera da votação, no plenário da Câmara.

Veja também:

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 15 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/