Ponto e Vírgula 17/08/2023

Ponto e Vírgula 17/08/2023

Sobe - Mutirão por promover a troca de 250kg de recicláveis por brindes sustentáveis.

Desce - Procurador do MPF Ronaldo Albo por reduzir de R$ 10,3 bilhões para R$ 3,5 bilhões multa imputada à JBS por corrupção.

Ranking

Os deputados baianos ficaram em segundo lugar em ranking de gastos de combustíveis durante os sete primeiros meses de 2023. De acordo com dados da Câmara, os parlamentares da Bahia gastaram R$ 1.030.368,23 entre janeiro e julho deste ano, ficando atrás apenas de Minas Gerais, que chegaram a R$ 1.213.879,55. O deputado que registrou o maior gasto foi CharlesFernandes (PSD), que gastou R$ 57.291,32. Atrás do pessedista, ficou José Rocha (União) com um gasto de R$ 56.645,50 no mesmo período.

Ranking I

Em relação aos menores gastos, o parlamentar baiano que registrou a menor destinação de recursos para uso de combustíveis foi Adolfo Viana (PSDB), com R$ R$ 4.106,60. Atrás do presidente estadual do PSDB, aparece Capitão Alden (PL), que gastou R$ 7.558,70 durante os sete primeiros meses do ano, levando em consideração os deputados da legislatura atual.

Microcefalia

Sem o acompanhamento de profissionais especializados, distribuição gratuita de medicações, suplementos alimentares, fraldas e outros recursos, pais e responsáveis de crianças com microcefalia compareceram ontem (16), à Câmara de Feira de Santana, para reclamar contra o Governo Municipal. Ao discursar na Tribuna Livre da Casa da Cidadania, a mãe de uma criança com esta condição, Karine Silva Santos, alertou para o aumento de internações desses pacientes devido à perda de peso. Problema que, segundo ela, poderia ser evitado se houvesse maior assistência da Prefeitura, através do suporte nutricional e auxílio de fonoaudiólogo capacitado para trabalhar o processo da deglutição.

UPB

Durante mobilização municipalista com a presença de mais de mil gestores de todo país, em brasília, para discutir a crise na arrecadação e a Reforma Tributária, o presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), prefeito Quinho de Belo Campo, defendeu que a Confederação Nacional de Municípios (CNM), junto às associações municipalistas o Brasil, junto com suas bancadas estaduais solicite ao Governo Federal um Apoio Financeiro aos Municípios de forma emergencial. A iniciativa tem o intuito de tentar reverter o momento de crise que os municípios vivem com oscilação de receita.

4%

O governador Jerônimo Rodrigues (PT) sancionou o aumento de 4% que foi concedido pelo governo estadual aos funcionários do Ministério Público da Bahia (MP-BA) e do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). A Assembleia Legislativa havia aprovado essa medida na semana passada. A nova lei estabelece um incremento de 4% nos salários dos servidores, juntamente com ajustes na Vantagem Pessoal de Eficiência e na Vantagem Pessoal de Incentivo no Tribunal de Justiça.

Rigorosidade

O deputado federal Neto Carletto (PP), por meio de Projeto de Indicação (INC), sugeriu mais rigorosidade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a venda de medicamentos com a substância "paracetamol". Em documento, o parlamentar solicitou a obrigatoriedade de prescrição médica e citou que a população brasileira possui o costume de "automedicação", o que, segundo ele, favorece a ocorrência de intoxicações. Carletto também cita matérias jornalísticas que relacionaram o uso do paracetamol com as ocorrências de danos ao fígado, inclusive com falência hepática. Segundo o deputado, a venda dos medicamentos sem a receita médica favorece o "consumo automedicado e não racional" dos remédios que contém a substância.

Aprovação

A aprovação do governo Lula chegou a 60%, o maior percentual dos oito meses de mandato, conforme aponta a pesquisa Quaest, divulgada ontem (16). O grupo que mais aprova a gestão tem renda familiar de até dois salários mínimos mensais, com 68% de aprovação. O levantamento, conforme o Metrópoles, foi encomendado pela Genial Investimentos e, mostrou que o governo petista tem 60% de aprovação e 35% de desaprovação.

Apagão

Do lado do governo Lula, a gestão tenta atribuir a culpa do apagão que afetou cerca de 29 milhões pela falta de energia elétrica de pessoas em todos os estados ligados ao Sistema Interligado Nacional a venda da Eletrobras e sem risco à segurança energética do país, enquanto a oposição aproveita para surfar no momento negativo do Planalto. As declarações de Lula contra a privatização da Eletrobras têm sido um mantra do petista, aliás, desde a campanha eleitoral de 2022. 

Veja também:

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 15 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/