Mulher é enterrada viva em túmulo por vingança, diz Polícia

BrasilViolência

Mulher é enterrada viva em túmulo por vingança, diz Polícia

Ela foi localizada por coveiros que trabalham no local

Crédito: PM-MG/Divulgação

Uma mulher de 36 anos foi encontrada viva dentro de um túmulo no cemitério municipal na cidade de Visconde do Rio Branco, na zona da mata mineira, nesta terça-feira (28). A Polícia Civil de Minas Gerais afirmou que a vítima foi enterrada por vingança por causa de um desacerto referente a uma arma de fogo.

"Ela apontou dois suspeitos, os quais foram devidamente identificados. Neste momento, tanto a Polícia Civil quanto a Militar encontram-se à procura dos dois autores visando prendê-los em flagrante delito", afirmou o delegado Diego Candian Alves, da Delegacia Regional de Polícia Civil em Ubá.

A mulher disse aos agentes ter guardado drogas e armas para a dupla, mas foi roubada antes de encontrá-los. Por isso, segundo ela, foi agredida fisicamente e levada ao cemitério.

A vítima relatou que dois homens encapuzados invadiram a casa dela e a agrediram. Ela disse ainda que estava com o marido no momento da abordagem, mas que ele conseguiu fugir, e ainda não foi localizado.

A partir daí, a mulher disse não se lembrar de mais nada, até acordar no sepulcro. Ainda não há informações de quanto tempo ela ficou no local.

Ela foi localizada por coveiros que trabalham no local e encontraram o sepulcro fechado com tijolo, cimento fresco e sinais de sangue. Os funcionários acionaram a Polícia Militar.

Ao chegarem ao local, os militares ouviram uma voz baixa e fraca pedindo socorro vindo do túmulo e quebraram a lápide, que estava fechada com materiais de alvenaria. A mulher estava com um corte na cabeça, cortes pelo corpo e sinais de desidratação.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e a vítima, encaminhada para o Hospital São João Batista. Ela deu entrada no Centro de Tratamento Intensivo da unidade, onde continuava internada com o quadro de saúde estável.

A Prefeitura de Visconde do Rio Branco afirmou que há diariamente vigia no cemitério. "Contudo, além do local onde aconteceu o fato estar parcialmente interditado, e, mesmo com aumento da segurança, as invasões continuam a acontecer, principalmente por usuários de drogas." 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 20 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/