Novas regras para portabilidade de operadora de telefonia móvel entram em vigor

BrasilNovas regras

Novas regras para portabilidade de operadora de telefonia móvel entram em vigor

As novas regras foram anunciadas pela Anatel 

Crédito: Divulgação

Uma medida que visa prevenir ocorrências do golpe da portabilidade entrou em vigor na última segunda-feira (28). As novas regras foram anunciadas pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

Chamado de duplo fator para portabilidade, a partir de agora, as operadoras de telefonia móvel terão de enviar uma mensagem de texto (SMS) ao cliente pedindo a confirmação do procedimento de portabilidade numérica em até seis horas.

Para validar que quer mesmo fazer o procedimento, o consumidor deve receber o SMS antes da portabilidade do seu número ser efetuada.

Se a resposta à mensagem for "sim", a troca pode ser realizada. Em caso negativo, o processo de portabilidade é cancelado automaticamente. Antes, era possível trocar de operadora apenas com a confirmação do número do documento e endereço do cliente.

A portabilidade numérica é o direito do consumidor de telefonia (móvel ou fixa) de trocar de operadora e continuar com o mesmo número de telefone.

A Anatel disse que as mudanças estão em desenvolvimento desde o ano passado e que as novas regras não devem alterar a relação cliente-operadora. "A segunda camada de proteção tem o objetivo de verificar a posse do terminal objeto da portabilidade, evitando que os criminosos possam requerer alterações fraudulentas", afirma.

"Esse fator traz mais segurança, porque se o criminoso solicitar a portabilidade em nome da pessoa, o titular, por óbvio, vai rejeitar o processo pela mensagem de texto", diz o advogado especialista em direito digital Luiz Augusto D'Urso.

Segundo o advogado, as operadoras devem melhorar seus sistemas de proteção na hora de emitir um chip. "Hoje já vemos empresas que realizam biometria e reconhecimento facial antes de vender um chip. Essas operadoras têm menos risco de sofrer com o golpe da portabilidade", afirma.

O especialista ressalta que é uma medida de segurança necessária, que mostrava que a portabilidade simplificada possuía falhas. "Essa burocracia adicional criada é mínima. Traz mais segurança, tanto para a operadora, quanto para o cliente."

A Conexis (Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e Serviço Móvel, Celular e Pessoal), representante das principais operadoras em atuação no país, reforça que os clientes devem estar atentos a comunicações oficiais das empresas. "Somente respondam ao SMS se ele vier do código 7678. Em caso de dúvida, o consumidor deve acessar o Atendimento ao Cliente da nova prestadora, aquela que ele está portando o número", diz.

As mudanças propostas pela Anatel começaram em abril, com testes do novo sistema de portabilidade sendo feitos em regiões com o DDD 64 e depois expandindo para o Centro-Oeste, Norte e para os estados do Paraná e Santa Catarina. Desde 28 de agosto, o restante do país foi incluído nas novas regras.

Segundo a agência reguladora, os testes em algumas regiões do país permitiram a correção de redes e sistemas das prestadoras.

COMO FUNCIONA O GOLPE DA PORTABILIDADE

Também chamado de "golpe do SIM Swap", ele consiste na transferência do número do telefone de uma vítima para outro chip. O fraudador compra um chip em branco e ativa o número da vítima. Com a posse da linha, ele consegue ter acesso a senhas, mensagens e contas de apps.

"Essa fraude é muito prejudicial pois independe da ação da vítima. Ela simplesmente acorda e vê que está sem sinal no celular. Isso significa que ela pode ter sido vítima do golpe", diz D'Urso.

Segundo o especialista, o problema gerado pelo golpe é grave, já que acontece um efeito dominó: uma vez que o chip é clonado para uma empresa com menos rigor, os criminosos começam a testar o número da vítima em todos os sistemas. "Invadem WhatsApp, email, outras redes sociais e aplicativos de bancos -que muitas vezes tem como fator de confirmação a ligação ou o SMS."

O QUE FAZER SE CAIR NO GOLPE DA PORTABILIDADE

Para quem for vítima do golpe da portabilidade, o recomendado é entrar em contato com as duas operadoras (a de origem e aquela para a qual o número foi transferido).

O usuário deve solicitar o cancelamento da portabilidade, reemitir o chip com seu número e, a partir disso, recuperar os acessos.

"Se foi golpe de portabilidade ou de clonagem de chip, o consumidor pode processar a operadora judicialmente. É inadmissível que seja tão simples a emissão de chips em nome de uma pessoa apenas com o número dos seus documentos", afirma o advogado.

COMO SE PROTEGER DO GOLPE DA PORTABILIDADE

Segundo a Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor), é importante desconfiar de ligações, mensagens ou emails não solicitados e que ofereçam promoções, descontos ou vantagens relacionadas à linha telefônica, especialmente se o consumidor não fez nenhuma solicitação à operadora.

Além dos cuidados com a divulgação de dados pessoais, é preciso verificar o número de telefone ou email do remetente das mensagens recebidas. É importante não clicar em links desconhecidos ou suspeitos enviados por supostos representantes das operadoras.

"A orientação é que o cliente procure operadoras mais seguras, que façam biometria e reconhecimento facial antes de emitir um chip", afirma D'Urso.

Ele também indica que o cidadão negue qualquer tipo de comunicação desconhecida sobre portabilidade, logo após recebê-la. "É preciso ter cautela com ligações de operadoras, porque pode ser um criminoso se passando pela empresa." 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 22 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/