Conselho convoca reunião para tratar reajuste da passagem de ônibus em Feira de Santana

GeralPode aumentar

Conselho convoca reunião para tratar reajuste da passagem de ônibus em Feira de Santana

O encontro será realizado no dia 14 de julho 

Crédito: Andrews Pedra Branca/Secom/PMFS

A Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito de Feira de Santana (SMTT), através do Secretário Sérgio Barradas Carneiro, em Feira de Santana, convocou os membros do Conselho Municipal de Transportes (CMT) para uma reunião ordinária. O encontro será realizado no dia 14 de julho de 2023, às 10h, no Gabinete do Secretário, localizado na SMTT, na Rua Miranda, n° 655, no bairro de Mangabeira.

Sérgio Carneiro diz que a ideia da Convocação é para tratar do reajuste anual da tarifa do transporte coletivo. "Quem é oposição reclama quem é do sistema reclama, e o poder público tem por obrigação fazer uma tentativa de equilíbrio econômico financeiro. O Sistema de Transporte Coletivo tem um custo para operar, os empresários através da Via Feira apresentam as suas contas, o governo faz ponderações e termina subsidiando uma parte porque, obviamente não vai concordar com a tarifa que fazemos ideia que seria o ideal para o sistema operar. É assim em todos os governos, prefeituras, anualmente concedem esses reajustes, no estadual também, no intermunicipal e no federal, através da ANTT, também. É uma questão para a gente operar que é usual e todos os anos acontece", explica.

O gestor acrescenta ainda todos os dados paramétricos, vamos recepcionar também os dados da Via Feira e também apresentar os de Feira para garantir a transparência. Barradas ressalta que pessoas precisam entender que o povo brasileiro, através dos seus impostos, financia as atividades do governo e não há nada público que seja gratuito. "O que é gratuito é uma mera liberalidade de um ato unilateral de doação sem reciprocidade e o que é público é uma decisão dos governantes, eleitos pelo povo, para dispor dos impostos que todos pagam. Todos sabem que é aplicado 25% dos impostos em educação, se aplica 15% em saúde, segurança, transporte são dispêndios que não existem vinculações constitucionais. O estado não tem uma obrigação constitucional em investir na segurança, assim como o município não tem obrigação prevista em investir uma parcela do orçamento em transporte, mas o faz. Como eu disse, não é possível atingir o equilíbrio econômico do sistema apenas a passagem do usuário. Todos os impostos que os cidadãos pagam e o estado devolve ao município, tributos federais que também voltam ao município. O orçamento de Feira, cerca de 2 bilhões de reais, dessa parcela o governo investe em todas as atividades que precisa desempenhar e parte do recurso vai para o transporte, ou seja, todo mundo paga", diz.

O secretário promete que dará mais transparência e diz que durante a reunião será debatido os planos que o prefeito Colbert tem na área dos transportes. "Como a questão da transformação da SMTT em Secretaria de mobilidade Urbana, criação do Fundo de Mobilidade, o redimensionamento das linhas, enfim tudo isso será apresentado". 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 18 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/