Contaminação descartada apenas em riacho feirense; resultado para Rio Jacuípe não saiu

GeralVibrião colérico

Contaminação descartada apenas em riacho feirense; resultado para Rio Jacuípe não saiu

Testes foram realizados no riacho Cipriano Barbosa no conjunto Feira IV

Crédito: Divulgação
O Laboratório Central de Saúde Pública do Estado (Lacen) apontou que não há contaminação pelo agente causador da cólera, Vibrio cholerae, no riacho Cipriano Barbosa, localizado no conjunto Feira IV. As amostras foram coletadas em 23 de fevereiro. No mesmo dia, uma amostra de água do Riacho da Lagoa do Geladinho – trecho que deságua da Lagoa do Geladinho, fora do Parque Radialista Erivaldo Cerqueira – no bairro Baraúna, foi coletada e constatou que as águas estão contaminadas com a bactéria.

Também já foram realizadas coletas no rio Jacuípe, mas o Município ainda aguarda resultado do Lacen. Outra análise de água será feita na próxima semana, no bairro Cidade Nova. O Governo Municipal aguarda resultado da FioCruz (Fundação Oswaldo Cruz), no Rio de Janeiro, para constatar se o vibrião colérico possui a endotoxina capaz de causar a doença da cólera.

A Vigilância Epidemiológica (VIEP) da Secretaria Municipal de Saúde recomenda que não seja feita pesca, banho e nem e consumo de peixes dos locais onde as amostras foram coletadas, devido a existência de bactérias com semelhança genética que produz a peptidase semelhante ao Vibrio Cholerae, e por consequência causam os mesmos sintomas.

CASOS DESCARTADOS

Dois casos suspeitos de cólera foram descartados após exames. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) designou unidades de referência para o atendimento de casos de doenças diarreicas. São as sete policlínicas municipais, as duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e mais seis Unidades de Saúde da Família (USFs) vinculadas ao programa Saúde na Hora – este último com funcionamento de segunda a sexta-feira, das 8h às 21h.

Vale destacar que o Comitê de Enfrentamento e Ações de Combate à Cólera mantém as ações de rastreamento e controle da doença bacteriana infecciosa intestinal aguda, que está ligada diretamente ao saneamento básico e à higiene.

Todas as unidades de saúde estão atentas para atender os possíveis casos suspeitos da cólera. Uma ação que envolve a Rede Primária de Saúde juntamente com a referência técnica do agravo da Vigilância Epidemiológica. 

Com informações da Secom/PMFS.

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 21 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/