Projeto da PM traz alegria para pacientes do HEC através da terapia com cavalos

GeralEquoterapia

Projeto da PM traz alegria para pacientes do HEC através da terapia com cavalos

Esta foi a segunda edição da atividade assistida

Crédito: Mário Sepúlveda/FE

Pacientes, familiares e funcionários do Hospital Estadual da Criança (HEC) participaram, na manhã desta quinta-feira (11), de momentos de alegria, recreação e conexão com cavalos, através do projeto 'Alegria a Galope', promovido pelo Esquadrão de Polícia Montada de Feira de Santana.

Esta foi a segunda edição da atividade assistida. A parceria entre o Esquadrão e o HEC teve início em dezembro do ano passado. Tem por objetivo principal propiciar um momento lúdico de terapia para os pacientes pediátricos e seus cuidadores, além de criar e fortalecer laços de amizade para com os animais.

Os participantes puderam observar o trote dos cavalos, sentir o cheiro e a textura do pelo dos animais. E alguns também tiveram a chance de experimentar pela primeira vez a sensação de galopar, sob os cuidados dos policiais.
Crédito: Mário Sepúlveda/FE
Mãe de um paciente de 10 anos, beneficiado com a ação, Pérsia Santana considerou a iniciativa muito bonita e benéfica para as crianças.

"A gente vê que o trabalho da Polícia Militar não é só guardar e assegurar a sociedade, mas também de contribuir com o psicológico e o emocional, como foi feito aqui no hospital com as crianças. A gente percebe que elas ficam muito tempo isoladas aqui, dentro do processo de cura e precisam desse momento, para saírem um pouco do hospital e da sala", afirmou.

Em entrevista ao Folha do Estado, o tenente Leandro Odilon ressaltou o impacto positivo que a equoterapia oferece aos pacientes, sobretudo aqueles que já estão há muitos meses internados no hospital. 

Crédito: Mário Sepúlveda/FE
"Esse projeto a gente vem desenvolvendo há algum tempo, e aqui no Hospital da Criança foi o nosso segundo encontro. Visa, principalmente, trazer através do cavalo um momento de alegria, descontração e distração para as crianças e até mesmo para os funcionários que atendem essas crianças e que estão aqui há algum tempo, tem meses aqui hospitalizadas", declarou.

A ação trabalha e fortalece o socioemocional dos participantes, por estarem diante de uma situação de vulnerabilidade física e psicológica.

"Vale ressaltar aqui que o cavalo é um excelente recurso, uma tecnologia que não é nova. (...) A gente já desenvolve a equoterapia no esquadrão de Polícia Montada há mais de 10 anos aqui na comunidade de Feira de Santana e cidades circunvizinhas. Temos pacientes crianças, adolescentes, que usufruem desse recurso. E o que a gente tem buscado com essas visitas, essas ações externas é levar aquilo que a gente tem de conhecimento", ressaltou o tenente Odilon. 

Crédito: Mário Sepúlveda/FE
Ele parabenizou também o envolvimento dos profissionais da unidade hospitalar, assim como o esforço dos policiais para fazer com que o trabalho continue obtendo resultados positivos.

"É um projeto construído em conjunto, então foram profissionais coordenadores, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, médicos, que abraçaram essa iniciativa, e o resultado é fruto dessa coletividade. A receptividade das crianças foi muito positiva, a gente vê no sorriso. A gente sai daqui bastante encantado, ou seja, a polícia militar, os profissionais, toda a equipe de saúde do Hospital da Criança, é fantástico o resultado", comemorou. 

Crédito: Mário Sepúlveda/FE
Humanização na assistência

A diretora operacional do HEC, Lívia Leite, ressaltou ao Folha do Estado que todos os animais envolvidos no projeto da Polícia Militar são devidamente higienizados e passam por toda uma preparação até entrarem em contato com os pacientes na unidade. 

Crédito: Mário Sepúlveda/FE

"A polícia traz os cavalos que são adestrados, treinados e seguros para virem ao hospital. É feita a higienização deles, tem todo um tratamento, uma preparação com toda a equipe envolvida do hospital também, para garantir a segurança dos pacientes que estão sendo atendidos", esclareceu Lívia Leite.


Conforme a diretora, a ação é uma forma de trazer humanização para os pacientes que têm uma longa permanência no hospital, e passam muito tempo dentro do quarto, em tratamento.

"A gente traz os pacientes para uma área arborizada, externa; eles têm o toque do cavalo, o caminhar, então é um momento de humanização da assistência aos pacientes pediátricos. A equipe também é contaminada com essa alegria. As crianças não são as únicas beneficiadas com esse projeto. Todo o hospital é beneficiado", salientou.
Crédito: Mário Sepúlveda/FE
Crédito: Mário Sepúlveda/FE
 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 15 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/