18 trechos onde é preciso mais cuidado em estradas federais da Bahia

MunicípiosAlerta

18 trechos onde é preciso mais cuidado em estradas federais da Bahia

Região de Feira de Santana lidera quantidade de trechos perigosos 

Crédito: Raimundo Mascarenhas

Na Bahia, é assim: se tem São João, tem pé na estrada. Nas rodovias, os veículos se multiplicam a caminho dos destinos mais tradicionais do período junino. Tanto é que, de acordo com a ViaBahia, em 2022, a BR-324, que corta o estado, deve receber um fluxo de quase 290 mil veículos durante a festa, 45% a mais do que é comum no restante do ano. Para estas centenas de milhares de motoristas, não faltam motivos para seguir viagem em alerta. Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), existem 18 trechos das vias baianas que demandam atenção extra para evitar acidentes que podem estragar os festejos.

Seja por estarem localizados em região de serra, áreas com alta movimentação, por serem perímetros urbanos ou com um volume grande de veículos longos trafegando, essas regiões oferecem risco para quem pega a estrada. No período junino, ainda mais. A PRF aponta que, em 2019, última vez que a festa ocorreu, sete pessoas morreram e 66 fi caram feridas em 63 acidentes de 20 a 25 de junho, o que faz do São João o momento mais perigoso nas estradas do estado. A estatística de acidentes e vítimas fatais, inclusive, vem em uma crescente. Em 2017, foram 57 acidentes e quatro mortes. Em 2018, 30 ocorrências e quatro óbitos. Por isso, é importante saber quais são os trechos mais perigosos. 

Temor dos motoristas

Nos trechos citados pela PRF como perigosos por serem localizados em serras, estão estradas que passam por cidades como Santa Bárbara (BR-116, Km 545), Jaguaquara (BR-116, Km 648), por exemplo. Esses são os que o produtor rural Odair Nascimento, 47, mais teme. “A BR-101, que liga Itabuna à Salvador, no trecho depois da cidade de Tancredo Neves, também tem uma serra perigosa. A estrada não é dupla e, do lado direito, tem uma ribanceira. Na hora de passar, tem que ir bem devagar. É daquelas bem complicadas, principalmente, pra quem não conhece”, fala ele, que diz temer pela vida de motoristas que possam passar na área sob efeito de álcool.

A preocupação de Odair é legítima. No último feriado de Corpus Christi, a PRF registrou um aumento de mais de 1.187% no número de motoristas que foram pegos no teste do bafômetro nas rodovias federais que cortam a Bahia. No período, 109 condutores foram autuados por alcoolemia ao volante. Os números têm um acréscimo alto em relação ao feriado do ano passado, quando foram contabilizados sete motoristas alcoolizados.

Mesmo cumprindo a lei e dirigindo sem efeito de álcool, os motoristas ainda têm motivos para se preocupar, como os perímetros urbanos que tem muita movimentação de pessoas. A PRF cita seis desses na lista. 

O trecho entre o Km 364 e Km 355, que fica ao redor da cidade de Serrinha, é o que mais preocupa o administrador Pablo Bruno Alves, 40. “O trecho da BR-116 que liga Feira de Santana a Serrinha, que é uma cidade de muita movimentação no São João, tem um fluxo gigante de caminhões e carros grandes. Além de algumas curvas perigosas, que pedem uma atenção muito alta dos motoristas”, fala ele.

Mais do que os trechos mais perigosos, a PRF cita também quais cidades do estado tiveram mais acidentes graves em suas vias em 2022. No topo do ranking, estão os municípios de Feira de Santana (33), Vitória da Conquista (31) e Salvador (15). Dona da segunda posição, Conquista tem em uma de suas vias o local mais perigoso na visão do estudante Pedro Carvalho, 26. Conhecida como Ladeira do Marçal, a serra é temida por muitos na região, segundo ele. “Ali, principalmente quando tem muita neblina, é terrível. Cansei de ver caminhões e carros tombados. 

Além de ser muito inclinado, o trecho tem curvas muito fechadas e você não pode passar da velocidade recomendada. Se acelera demais, o risco é grande”, conta ele.

Os trechos mais perigosos:

Na BR-324 - Salvador-Feira de Santana (sentido decrescente)

- Entre os quilômetros 574 ao 551 - trecho com aclives e declives.

- Entre os quilômetros 543 e 518 - atenção às rotatórias, reduza a velocidade;

Na BR-116 - Sul (Rio-Bahia)

- Entre os quilômetros 446 e 452 - trecho em obras de duplicação;

- Entre os quilômetros 459 e 466 - trecho em obras de duplicação;

- Entre os quilômetros 545 e 600 - trecho de serra, atenção às curvas e ultrapassagens proibidas ou inseguras;

- Entre os quilômetros 600 e 639 - perímetro urbano de Jaguaquara do Km 628 ao 638;

- Entre os quilômetros 639 e 648 - trecho de serra, atenção às curvas e ultrapassagens proibidas ou inseguras;

- Entre os quilômetros 569 e 579 - perímetro urbano de Jequié, atenção;

- Entre os quilômetros 710 e 740 - trecho de serra, atenção às curvas e ultrapassagens proibidas ou inseguras;

- Entre os quilômetros 740 e 750 e entre os quilômetros 773 e 780 - perímetro urbano, atenção;

- Entre os quilômetros 808 e 818 - perímetro urbano, atenção;

- Entre os quilômetros 828 e 830 - perímetro urbano, atenção;

- Entre os quilômetros 830 e 900 - reduzir velocidade, cuidado com ultrapassagens proibidas ou inseguras;

- Entre os quilômetros 900 e 912 - perímetro urbano de Cândido Sales, atenção;

- Entre os quilômetros 912 e 933 - reduza a velocidade, cuidado com ultrapassagens proibidas ou inseguras.

Na BR 116 - (Norte)

- Entre Km 364 e Km 355 - Perímetro urbano de Serrinha;

- Cuidados ao trafegar à noite - pode haver animais ao longo da via

- Entre Tanquinho e Capim Grosso (Km 480) e Capim Grosso (Km 360) pequenas curvas verticais (lombadas) dificultam ultrapassagens, além de haver a possibilidade de animais na via.    

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Terça, 04 Outubro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/