Número de empregados na construção civil baiana foi o menor em 13 anos em 2020

MunicípiosDiz IBGE

Número de empregados na construção civil baiana foi o menor em 13 anos em 2020

O estado contava com 2.409 empresas 

Crédito: Paula Froés/GOVBA
Em 2020, o tamanho do setor empresarial da construção civil na Bahia voltou a crescer, após o resultado negativo de 2019. Ao final do primeiro ano da pandemia de Covid-19, o estado contava com 2.409 empresas da construção com 5 ou mais pessoas ocupadas. Houve um aumento de 1,5% frente a 2019, quando o total era 2.373. Ou seja, 36 empresas passaram a atuar na Bahia, de um ano para o outro, segundo a Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC). Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (15) pelo IBGE.

Ainda assim, frente a 2015, quando o estado havia apresentado seu maior número de empresas atuando na construção (3.009), houve uma queda de 19,9%. Ou seja, 600 empresas da construção civil fecharam, em cinco anos.

Mesmo com o saldo positivo, entre 2019 e 2020, a Bahia teve uma leve perda na participação no total de empresas da construção civil com 5 ou mais pessoas ocupadas no país, de 4,3% para 4,1%. Manteve, porém, a 7ª maior participação nacional, dentre as unidades da Federação, e a maior do Norte/Nordeste.

No Brasil, o setor empresarial da construção civil teve, entre 2019 e 2020, um crescimento de 4,7% no número de empresas com 5 ou mais pessoas ocupadas, passando de 55.565 para 58.162 - mais 2.597 empresas de um ano para o outro.

Entre 2019 e 2020, o setor empresarial da construção cresceu em 18 dos 27 estados brasileiros. Os destaques positivos foram para Amapá (+37,0%), Mato Grosso (+26,0%) e Mato Grosso do Sul (+19,3%). As maiores quedas, em termos proporcionais, ocorreram em Roraima (-19,0%), Acre (-15,4%) e Piauí (-8,3%).

Mesmo com o aumento no número de empresas de construção atuantes na Bahia, em 2020 houve uma nova redução do pessoal ocupado no setor.

O total de trabalhadores nas empresas de construção com 5 ou mais pessoas ocupadas no estado caiu pela terceira vez seguida, de 99.522 em 2019 para 96.164 em 2020, com menos 3.358 pessoas ocupadas no setor em um ano (-3,4%).

Assim, no primeiro ano de pandemia, o pessoal ocupado na construção civil na Bahia chegou ao seu patamar mais baixo em 13 anos, desde 2007, quando 93.232 pessoas trabalhavam no setor, no estado.

Frente a 2013, quando as empresas da construção civil baiana empregavam 183.267 trabalhadores (maior número de trabalhadores da série histórica), 87.103 pessoas deixaram de atuar no setor, o que representou uma queda de 47,5% em sete anos.

No Brasil, ao contrário da Bahia, houve, pelo segundo ano seguido, variação positiva na ocupação na construção. Em 2020, 1,798 milhão de pessoas trabalhavam nas empresas do setor, frente a 1,707 milhão em 2019 (+90.676 ou +53,% em um ano).

Entre 2019 e 2020, houve redução do pessoal ocupado em empresas de construção em apenas 7 das 27 unidades da Federação. A queda registrada pela Bahia (-3.358 trabalhadores) foi a 3ª maior do país em termos absolutos, superada apenas pelas verificadas no Rio de Janeiro (-11.663 trabalhadores) e Rio Grande do Sul (-3.722).

Apesar do recuo na ocupação, a Bahia manteve o 5º lugar no ranking nacional de emprego no setor empresarial da construção civil. 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 02 Outubro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/

Cron Job Iniciado