Produção de grãos apresenta aumento estimado de 9,9% em relação à safra anterior

MunicípiosBahia

Produção de grãos apresenta aumento estimado de 9,9% em relação à safra anterior

A área plantada também apresenta aumento de 7,2% 

Crédito: Divulgação

A safra baiana de grãos deverá fechar o ciclo com produção de 11,8 milhões de toneladas, um aumento de 9,9% em relação à safra 2020/2021. A área plantada também apresenta aumento de 7,2% em comparação ao mesmo período, chegando a 3,5 milhões de hectares semeados. Com isso, a produtividade chega a 3.347 kg/ha. Os dados são do 11° Levantamento da Safra de Grãos, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta quinta-feira (11).

No caso do algodão, a colheita está próxima de 65%. A queda da produtividade, em relação à expectativa inicial, deve-se aos efeitos da má distribuição de chuvas, com excesso na fase de desenvolvimento vegetativo e escassez na fase de formação das maçãs. O algodão total deverá fechar o ciclo em 1,3 milhão de toneladas, aumento de 6,3% em relação à safra anterior, particularmente em razão do crescimento de área neste ano.

Os plantios foram iniciados em novembro de 2021, e a colheita deve se estender até setembro de 2022, com cultivo de sequeiro e irrigado. As lavouras de sequeiro seguem em fases de maturação e colheita, com o ciclo adiantado em relação à safra passada devido à anomalia da distribuição hídrica nesta safra, que iniciou e finalizou o período chuvoso mais cedo, antecipando a maturação dos frutos, enquanto que as lavouras irrigadas seguem em fase de formação das maçãs, maturação e início de colheita. As lavouras de sequeiro representam 83% e as irrigadas 17% da área cultivada. A colheita segue acelerada nas lavouras de sequeiro, devendo concluir esta etapa em meados de agosto, enquanto as lavouras irrigadas apresentam áreas em início de colheita.

Análise climática – Na Região Nordeste, os acumulados de chuva foram superiores a 200 mm e concentraram-se na costa leste da região, favorecendo o armazenamento de água no solo e às lavouras em desenvolvimento na região da Sealba. Em áreas do oeste da Bahia, não foram registrados acumulados de chuva, o que reduziu os níveis de água no solo, mas favoreceu os cultivos de segunda safra que se encontravam em maturação e colheita na região. 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quarta, 05 Outubro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/