Vendas do varejo baiano recuam em agosto, diz IBGE

MunicípiosPesquisa mensal

Vendas do varejo baiano recuam em agosto, diz IBGE

O resultado do varejo baiano ficou acima do Brasil como um todo 

Crédito: Divulgação

Em agosto, as vendas do varejo na Bahia recuaram (-1,2%) frente ao mês anterior, na série livre de influências sazonais, após terem se mantido estáveis na passagem de junho para julho, segundo a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do IBGE.

Apesar de negativo, o resultado do comércio varejista baiano entre julho e agosto (-1,2%) ficou acima do verificado no Brasil como um todo (-3,1%). Nessa comparação, 24 das 27 unidades da Federação mostraram quedas nas vendas, com os piores resultados registrados em Rondônia (-19,7%), Paraná (-11%) e Mato Grosso (-10,9%). Apenas Ceará (2%), Maranhão (1%) e Roraima (0,3%) tiveram avanços. A Bahia ficou com o 9º índice.

Com o resultado negativo de julho para agosto, o volume de vendas do comércio varejista na Bahia voltou a ficar ligeiramente abaixo (-0,2%) do patamar verificado no pré-pandemia, em fevereiro de 2020. Isso não acontecia desde abril deste ano.

O desempenho do varejo baiano também foi negativo na comparação de agosto/21 com agosto/20, com queda de 8,7% nas vendas. Foi o primeiro recuo depois de quatro crescimentos seguidos nesse confronto e o pior resultado para um mês de agosto em cinco anos, desde 2016, quando as vendas haviam caído 13,7%.

O desempenho das vendas do varejo baiano, nessa comparação, foi pior que o nacional (-4,1%) e o 19o entre as unidades da Federação. Apenas três estados registraram altas: Mato Grosso do Sul (5,9%), Espírito Santo (5,3%) e Piauí (3,7%). No outro extremo, os piores resultados vieram de Amapá (-14,2%), Acre (-13,5%) e Paraíba (-13,2%).

Apesar do desempenho do mês, as vendas do varejo baiano ainda acumulam alta de 7,2% de janeiro a agosto de 2021 (frente a 10% entre janeiro e julho), no confronto com o mesmo período do ano anterior. O resultado na Bahia seguiu acima do nacional (5,1%) e foi o 11º entre os estados.

No acumulado nos 12 meses encerrados em agosto (frente aos 12 meses anteriores), as vendas do comércio varejista na Bahia também seguem avançando (5,1%, frente a 6,5% até julho). O resultado é quase igual ao do Brasil como um todo (5,0%) e o 15o entre as 27 unidades da Federação. 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 18 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/