Aracruz é argumento para retomar Estatuto do Desarmamento, diz governador do Espirito Santo

PolíticaJustiça

Aracruz é argumento para retomar Estatuto do Desarmamento, diz governador do Espirito Santo

Casagrande também destacou que o Brasil vive um 'ambiente de violência'

Crédito: Divulgação

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), afirmou nesta quarta-feira (30) durante participação no UOL News que a tragédia que aconteceu na cidade de Aracruz (ES), no litoral do estado, serve como um argumento para que o Estatuto do Desarmamento seja retomado. Apesar de não relacionar o caso diretamente a facilidade no acesso às armas, uma vez que o autor do crime é filho de policial, ele externou seu desejo pela retomada da política e disse esperar que o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tome atitudes nesse sentido.

"Acho totalmente possível que o presidente Lula já entre no governo assinando decretos e encaminhando projetos de lei ao Congresso Nacional retrocedendo e estabelecendo a retomada do Estatuto do Desarmamento. O fato que aconteceu aqui no Espírito Santo é mais um argumento que ele tem para poder fazer e tomar essas atitudes", disse.

Casagrande também destacou que o Brasil vive um "ambiente de violência sem motivo aparente e com razões subjetivas" e creditou esse ambiente ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e suas falas, além da política que foi adotada durante seu governo para facilitar o acesso a armas de fogo.

"Considero que o presidente Jair Bolsonaro sim, tem responsabilidade não neste ato específico, mas no ambiente de violência, porque todos os atos do Bolsonaro foram voltados para flexibilizar o acesso às armas e em todo momento que pode incentivar que alguém tivesse armas e pudesse usar as armas, ele fez isso".

O governador também afirmou que a polícia está investigando celulares e computadores do "jovem autor e assassino" para descobrir se o ataque feito às escolas em Aracruz possui algum vínculo com grupos neonazistas nacionais e internacionais, ou se foi um fato isolado.

"Um depoimento simplesmente não é suficiente para chegar a uma conclusão, mas é importante em uma hora que vivemos uma tragédia como essa fazer uma reflexão sobre o ambiente de violência que a gente vive no Brasil. (...) o ambiente de violência estabelecido no Brasil e a facilidade do acesso às armas acabam potencializando fatos e momentos como esse".

Bolsonaro recuou, lavou as mãos e deixou espaço para Lula atuar, diz governador do ES

"O presidente Lula, até pelo afastamento e pela inação do presidente Jair Bolsonaro, está assumindo o comando político das articulações. Ele está certo em assumir porque Bolsonaro na hora que recua, de alguma maneira lava as mãos e deixa o espaço aberto para Lula atuar", disse Casagrande sobre o atual cenário político brasileiro faltando pouco mais de um mês para a troca na presidência.

Ele também criticou o orçamento secreto e disse esperar que, durante seu governo, Lula "retome o comando do orçamento".

"O ambiente político exige do presidente Lula a capacidade de fazer algumas alianças e ceder em alguns pontos, mas Lula terá que retomar, no seu tempo, o papel de ser o presidente, coordenador e comandante do orçamento".

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quarta, 08 Fevereiro 2023

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/