Bolsonaro diz que pesquisas não valem de nada e que vai ganhar no primeiro turno

PolíticaPresidente

Bolsonaro diz que pesquisas não valem de nada e que vai ganhar no primeiro turno

Presidente disse que o que tem sentido é que o povo está ao seu lado 

Crédito: Divulgação

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), voltou a criticar as pesquisas eleitorais para a corrida presidencial no Brasil, ao deixar o hotel em que está hospedado, em Nova York, para se dirigir à 77ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). Ao comentar sobre sua expectativa quanto ao primeiro turno da disputa, disse que o que tem sentido é que o povo está ao seu lado, mas não respondeu a uma pergunta sobre se entregaria o cargo caso perdesse nas urnas.

"Essas pesquisas não valem de nada. Se você acredita em pesquisas, não vou falar contigo", respondeu Bolsonaro, ao jornalista da BBC, Leandro Prazeres. "Não vou falar em hipóteses. Vamos ganhar no primeiro turno", emendou, ao ser questionado sobre a possibilidade de ter de deixar o cargo caso perca as eleições.

Sobre o seu discurso na ONU, Bolsonaro afirmou que falará sobre a economia brasileira, que está em uma situação "bem mais tranquila" que o mundo, e mencionará a potência energética e de agronegócios que é o País. Ele disse ainda que os assaltos a bancos caíram pela metade em seu governo, que a violência caiu "bastante" e que o desemprego no Brasil baixou.

Bolsonaro deixou o hotel em que está hospedado, na região de Midtown, em Manhattan, por volta de 8h50, para se dirigir à 77ª Assembleia Geral da ONU. Primeiro, saiu caminhando, acompanhado pela segurança, apoiadores e a imprensa, mas depois entrou em um carro nas proximidades. Ele chegou ao local por volta das 9h10. Um grupo de mais de 40 apoiadores aguardava por Bolsonaro na porta do hotel e foi para a entrada da ONU para recepcioná-lo.

O presidente brasileiro desembarcou na segunda-feira, 19, à noite, em Nova York. Ele chegou no hotel por volta das 21 horas, cumprimentou apoiadores no local, mas não falou com a imprensa, na ocasião.

Bolsonaro é o primeiro chefe de Estado a discursar na Assembleia Geral da ONU. É a quarta vez que o presidente brasileiro participa do encontro de chefes de Estado. Em seus discursos anteriores, defendeu pautas de costume e a política ambiental de seu governo. A expectativa é de que Bolsonaro siga a mesma linha neste ano.

Primeira vez que os líderes globais se reúnem desde o início da guerra na Ucrânia, a Assembleia Geral da ONU tem como tema "Um momento divisor de águas: soluções transformadoras para desafios interconectados" e deve reunir cerca de 130 chefes de Estado. A abertura estava prevista para às 10 horas - horário de Brasília, na sede da Organização, na parte central de Manhattan, às margens do rio East.

O discurso do presidente brasileiro está agendado para começar por volta das 10h40. Depois, Bolsonaro terá reuniões bilaterais com os presidentes da Polônia e do Equador. Não está previsto nenhum encontro com líderes mundiais, conforme a agenda divulgada pelo Itamaraty.

O presidente tem ainda um almoço privado na churrascaria brasileira Fogo de Chão, na unidade próxima ao hotel em que está hospedado, e participa de uma videoconferência com empresários do setor de supermercado, de Campinas, São Paulo. Seu retorno à Brasília está previsto para às 17 horas desta terça, conforme a agenda divulgada pelo Planalto. 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 18 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/