Presente desafiador: funcionário do Fluminense busca inspiração histórica para a final do Mundial

EsportesPassado Glorioso

Presente desafiador: funcionário do Fluminense busca inspiração histórica para a final do Mundial

Edevaldo Cavalo, ex-jogador e atual supervisor técnico do sub-16, traz à tona lembranças da vitória contra o Manchester City em 1982

Crédito: Reprodução/X @pedrogilio

A iminente final do Mundial de Clubes entre Fluminense e Manchester City traz à tona uma peculiar conexão histórica por meio de Edevaldo Cavalo, atual supervisor técnico da equipe Sub-16 do Tricolor. Embora as duas equipes nunca tenham se enfrentado, Cavalo, com passado de glórias, pode se tornar um talismã na decisão, relembrando uma vitória marcante contra os ingleses em 1982.

Naquele ano, durante o Troféu Joan Gamper, Edevaldo, então atuando pelo Internacional, conquistou o título ao superar o Manchester City na final. O lateral-direito, agora supervisor técnico do Fluminense, não apenas participou do triunfo por 3 a 1, mas também deixou sua marca com um gol na decisão.

Em meio a uma atmosfera festiva, Edevaldo recorda com alegria: "Tive a felicidade de fazer um gol. Não lembro se foi de falta ou de pênalti. Não tenho a memória de cabeça. Foram tantas coisas boas que aconteceram. O importante foi que eu fiz o gol."

O episódio se desenrolou durante o Troféu Joan Gamper, que ficou marcado pela estreia de Diego Maradona pelo Barcelona. Contudo, Edevaldo desempenhou um papel crucial nas quartas de final, ajudando o Internacional a vencer o Barcelona nos pênaltis, eliminando os catalães.

Ao ser questionado sobre a final do Mundial de Clubes, Edevaldo expressa esperança de que o Fluminense, sob a liderança de Fernando Diniz, possa replicar o feito histórico. "O Fluminense vive um momento muito bonito, muito bacana. Não vou dizer que sou pé de coelho, mas uma pessoa que vai torcer muito para tudo dar certo. São 19 anos como funcionário. Vou para 20 se Deus quiser com o título."

A trajetória de Edevaldo, que emergiu nas categorias de base do Fluminense e teve uma carreira destacada, adiciona uma camada de nostalgia e inspiração à atmosfera que envolve a tão aguardada final. O episódio de 1982 ressurge como uma fonte de otimismo para o Fluminense, que busca a glória mundial na próxima sexta-feira, às 15h (horário de Brasília), no King Abdullah Stadium, em Jidá. 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 22 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/