Países da América Latina unem forças em prol da alimentação escolar

InternacionalSaiba mais

Países da América Latina unem forças em prol da alimentação escolar

Conferência virtual foi uma iniciativa colaborativa entre a FAO e a Rede de Alimentação Escolar Sustentável

Crédito: Reprodução

Em um evento online significativo realizado no dia 1 de março de 2024, especialistas e administradores de programas de alimentação escolar de toda a América Latina e Caribe se reuniram para compartilhar experiências e lições aprendidas no campo da alimentação escolar. O webinar, que atraiu mais de 80 participantes, teve como foco os marcos normativos que sustentam políticas de alimentação nas escolas, considerados vitais para garantir uma nutrição adequada a milhões de estudantes e apoiar o direito humano fundamental à alimentação.

A conferência virtual foi uma iniciativa colaborativa entre a FAO e a Rede de Alimentação Escolar Sustentável, que destacou exemplos positivos do Brasil, Equador e Guatemala. No Brasil, um destaque foi o mandato legal de que 30% dos alimentos fornecidos nas escolas venham da agricultura familiar, promovendo não só uma alimentação saudável e variada, mas também apoiando a economia local.

No Equador e na Guatemala, as discussões abordaram os desafios e sucessos na implementação de políticas similares, ressaltando a importância de um compromisso contínuo e de esforços conjuntos para superar obstáculos tecnológicos e financeiros, garantindo assim a continuidade e eficácia da alimentação escolar.

O encontro online marcou um momento de troca de conhecimentos e estratégias, mas também reafirmou a importância de colaborações internacionais e regionais para fortalecer as políticas de alimentação escolar, garantindo que futuras gerações tenham acesso a uma alimentação adequada e nutritiva no ambiente escolar.

A coordenadora do projeto regional de alimentação escolar da Cooperação Internacional Brasil-FAO, Najla Veloso, destacou a importância de dialogar sobre esses temas e de conhecer as experiências de outros países, mencionando o papel da metodologia de Escolas Sustentáveis, a partir de seus seis componentes-chave: articulação intersetorial, participação comunitária, cardápios adequados e saudáveis, educação alimentar e nutricional, melhoria da infraestrutura de cozinhas e refeitórios e compras públicas da agricultura familiar. "Esta metodologia tem gerado evidências técnicas e políticas e fortalecido a política de alimentação escolar nos níveis regional e nacional de cada país".

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 23 Mai 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/