Chineses querem transformar Bahia no 'Vale do Silício' brasileiro

MunicípiosSaiba mais

Chineses querem transformar Bahia no 'Vale do Silício' brasileiro

Montadora vai produzir veículos elétricos e construir centro de pesquisa e tecnologia

Crédito: Joá Souza/GOVBA

A nova fábrica da BYD ainda será construída, mas a meta da empresa é ambiciosa. A montadora chinesa quer transformar Salvador e a Bahia no Vale do Silício brasileiro, em alusão à região que concentra empresas de tecnologia de última geração na Califórnia, nos Estados Unidos. A pedra fundamental para a construção da fábrica foi lançada nesta segunda-feira (9) nas instalações da antiga Ford, em Camaçari.

Serão três células fabris. Uma delas será a de produção de veículos. A expectativa é que a empresa comece a produzir os carros elétricos no final de 2024 ou início de 2025, e a linha de montagem será inspirada na unidade fabril de Changzhou, na China. Na primeira fase, a capacidade é estimada em 150 mil veículos ao ano, mas poderá chegar a 300 mil. A BYD produzirá os modelos BYD Dolphin, 100% elétrico, e o BYD Song Plus.

A segunda célula será dedicada à produção de chassis para ônibus e caminhões elétricos para abastecimento do Norte e Nordeste do Brasil. Já a terceira fábrica fará o processamento e a exportação de lítio e ferro fosfato, matérias-primas destinadas à produção de baterias. Juntas, serão mil postos de trabalho gerados no início da operação, mas a capacidade é para 5 mil trabalhadores nos próximos anos.

Além das três fábricas, o BYD anunciou a construção de um centro de pesquisa e desenvolvimento em Salvador. A unidade terá como objetivo o desenvolvimento de tecnologia para um motor híbrido flex, que possa combinar etanol com motores elétricos, por isso, a declaração do fundador, presidente e CEO da empresa Wang Chuanfu, durante o evento desta segunda-feira.

"Vamos instalar centro de pesquisa nessa cidade, desenvolver novas soluções para a transição verde e novos jeitos de movermos veículos. O Brasil se tornará uma referência mundial no setor", afirmou.

No portal institucional, a empresa confirma Salvador como a cidade escolhida para a construção do centro de pesquisa, mas o local ainda não foi divulgado. A BYD vai investir R$ 3 bilhões para a instalação das fábricas no Polo Industrial da Camaçari, um parque tecnológico que tem faturamento de cerca de R$ 15 bilhões ao ano, representa R$ 3 bilhões em arrecadação de ICMS para a Bahia e responde por 22% do PIB da indústria de transformação do estado.

A montadora chinesa também vai atrair fornecedores de diversas áreas, na produção de peças técnicas ou na prestação de serviços. Segundo o governo, a empresa vai priorizar negócios locais. O governador Jerônimo Rodrigues (PT) destacou a importância de investir em tecnologias renováveis e o impacto da nova fábrica na economia da Bahia.

"O evento de hoje marca o início para a construção de uma indústria na Bahia com um novo modelo de governança ambiental e de cuidado com a classe trabalhadora. Eu tive na China e tive a oportunidade de conhecer a preocupação da BYD no trato com os seus trabalhadores e com o meio ambiente. Portanto, é um selo de compromisso do Governo Federal e do Governo do Estado com a iniciativa privada para garantir uma Bahia ainda mais atrativa e competitiva nessa área de sustentabilidade", disse.

Durante o evento, o governador assinou o projeto de lei que estabelece isenção de IPVA para carros elétricos produzidos na Bahia de até R$ 300 mil, pelos próximos cinco anos. A matéria será encaminhada para a Assembleia Legislativa e depende da aprovação dos deputados. Para veículos acima desse valor, será fixado o percentual de R$ 2,5% para o IPVA, igual ao aplicado aos demais automóveis.

A cerimônia de lançamento da pedra fundamental foi realizada em um dos galpões da antiga Ford. Um grupo cultural de Camaçari fez uma apresentação e as autoridades foram convidadas para sambar. O vice-presidente da República, Geraldo Alckmin (PSB), entrou na brincadeira e arriscou alguns passos. Ele discursou logo após o governador e destacou a queda no desemprego e a redução da inflação como cenário positivo para investidores, e a importância da sustentabilidade.

"A BYD é líder mundial em carros elétricos, na vanguarda da tecnologia, e vai trazer para a Bahia um dos principais centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação. Terá ao lado, como parceira, o Cimatec, do Senai, um dos grandes centros de pesquisa e inovação. Escolheu muito bem. Esta é uma região de grandes polos industriais. Polo petroquímico", afirmou.

A empresa já opera duas fábricas em Campinas (SP) e outra em Manaus (AM), com atuação em diferentes produções e é a maior fabricante mundial de baterias recarregáveis, sistemas de armazenamento de energia e veículos 100% elétricos. Ela chegou ao Brasil em 2014, com uma fábrica de ônibus elétricos em Campinas (SP), e tem o compromisso da redução em 1ºC da temperatura global.

Durante o evento, carros produzidos pela BYD ficaram expostos no palco e no pátio, incluindo uma viatura elétrica, e baianas distribuíram acarajé, abará e fitas do Senhor do Bonfim. A estrutura foi similar a montada em frente ao Farol da Barra, em julho, para anunciar a chegada da montadora. No final da cerimônia em Camaçari, as autoridades brasileiras e chinesas foram até o lado de fora, pegaram as pás e removeram alguns quilos de areia para simbolizar o início das obras.

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 22 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/