Em estado de greve, servidores da saúde param por 72h e protestam em frente ao HGCA

Saúde e Bem EstarProtesto

Em estado de greve, servidores da saúde param por 72h e protestam em frente ao HGCA

O protesto ocorreu em adesão ao movimento estadual da categoria. 

Foto: Divulgação/ Sindsaúde

Enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, dentre outros servidores públicos da área da saúde realizaram mais uma manifestação, na manhã desta segunda-feira (20), em Feira de Santana.

O protesto ocorreu em frente ao Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), com emprego de faixas e cartazes pelos profissionais,  em adesão ao movimento estadual da categoria, que deu início hoje à paralisação geral de 72 horas.

O objetivo é lutar contra a proposta de reajuste salarial de 4%, dada pelo governo do estado, dividido em duas parcelas e sem retroativos. Já a categoria propõe um aumento de pelo menos 10%.

Outros pontos da pauta de reivindicação são: discussão do PCCV para o grupo ocupacional saúde e grupo ocupacional técnicos administrativos que atuam na saúde; retorno do adicional de insalubridade a todos os trabalhadores cobertos pela decisão judicial; incorporação da gratificação de incentivo ao desempenho ( GID) ao salário base; realização de concurso público, para restituir o quadro de trabalhadores do SUS estadual e restituição dos percentuais dos processos de promoção na carreira.
Foto: Divulgação/ Sindsaúde

"Estivemos paralisados na porta do Hgca, uma paralisação dos servidores da saúde por 72h.
Os servidores da saúde do estado da Bahia estão em Estado de Greve. O governador encaminhou uma proposta de reajuste salarial de 4%, dividido pra duas vezes. É uma proposta vergonhosa que não traz valorização salarial e nós servidores não iremos aceitar", declarou a diretora do Sindsaúde, a enfermeira Dart Clair, em entrevista ao Folha do Estado.

Foto: Divulgação/ Sindsaúde

Segundo ela, durante os três dias de paralisação, estão ocorrendo atividades em todo o estado da Bahia, como Ilhéus, Vitória da Conquista, Salvador, Jequié, Paulo Afonso, entre outras cidades.
"Não são só os servidores da saúde que estão paralisados, os da educação também. Então estamos unindo forças com todas as entidades sindicais que representam os outros servidores públicos e também decretaram paralisação", destacou ao Folha do Estado.

Na última quinta-feira (16), o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado da Bahia (SindSaúde) protocolou o ofício junto ao governo do estado, informando sobre o Estado de Greve e a paralisação geral de 72 horas da categoria nos dias 20 de maio (segunda-feira), 21 de maio (terça-feira) e 22 de maio (quarta-feira) de 2024.

O governo encaminhou documento ao Sindsaúde propondo uma reunião para a próxima quarta-feira (22).

Foto: Divulgação/ Sindsaúde
 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 24 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/