Bahia registra maior número de mortes violentas no terceiro trimestre de 2022

SegurançaMonitor da Violência

Bahia registra maior número de mortes violentas no terceiro trimestre de 2022

Estado contabiliza maior número de mortes violentas do país entre janeiro e setembro 

Crédito: Divulgação

A Bahia foi o estado brasileiro que registrou a maior quantidade de mortes violentas no terceiro trimestre de 2022. As informações são do índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (1).

Entre os meses de julho e setembro deste ano,1,168 mortes violentas foram contabilizadas , o que aumenta o índice anual no estado para 3.798, o maior do país até agora.

Neste ano, a Bahia ficou em primeiro lugar no ranking dos estados em todos os trimestres, que leva em conta homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. Por isso, o estado registrou 2.630 mortes violentas , o maior número do Brasil no primeiro semestre .

Apesar do índice alto, os números são menores do que os de 2021, quando a Bahia registrou 4.252 mortes violentas entre janeiro e setembro, 454 a mais do que os registros de 2022. As reduções aconteceram nos três trimestres deste ano.

Dados na Bahia

Veja quantidade de mortes violentas na Bahia em 2022

O crime mais registrado no estado é o homicídio doloso, com 3.691 casos, seguido de 60 casos de latrocínio e 39 de lesão corporal seguida de morte.

Março foi o mês mais violento no estado, com 498 mortes registradas Deste número, 487 foram classificados como homicídios dolosos, seis como latrocínio e cinco como lesão corporal seguido de morte.

Já o mês com menos mortes registradas foi julho, com 380 mortes. Delas, 376 foram homicídios dolosos e quatro foram latrocínio. Não foi registrada nenhum caso de lesão corporal seguido de morte no mês.

Dados no Brasil

O Brasil teve uma queda no número de mortes nos nove primeiros meses de 2022: foram registrados 1.065 mortes a menos do que em 2021. Enquanto no ano passado o país contabilizou 31.252 entre janeiro e dezembro, neste ano o número foi de 30.187.

Além disso, no terceiro trimestre houve redução de 102 mortes.

O levantamento, que compila os dados mês a mês, faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do g1 com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 30 Janeiro 2023

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/