UBM de Feira de Santana se solidariza com estilista Flávia Sacramento

SegurançaSaiba mais

UBM de Feira de Santana se solidariza com estilista Flávia Sacramento

Estilista foi agredida por um policial militar 

Crédito: Divulgação

CARTA DE SOLIDARIEDADE

Escrevo-lhe esta carta com o intuito de expressar o meu mais profundo repúdio à violência física e psicológica sofrida pela Sra. Flávia Sacramento, uma cidadã corajosa que foi vítima de abuso por parte de um policial militar devido a motivos políticos.

É com grande indignação que tomamos conhecimento desse terrível incidente, que ocorreu em 04/06, no Quintal dos Bambas, casa de show em Feira de Santana. A violência contra a mulher é uma questão alarmante e que exige uma resposta imediata e enérgica por parte das autoridades competentes.

A Sra. Flávia Sacramento, uma mulher empoderada e defensora dos direitos humanos, foi agredida física e verbalmente, ferindo sua dignidade e causando profundo trauma emocional. Essa violência covarde e inaceitável é ainda mais alarmante por ter sido perpetrada por um agente do Estado, cuja função é zelar pela segurança e bem-estar da população.

Repudiamos veementemente qualquer forma de violência contra a mulher, seja ela física, verbal, emocional ou psicológica. A violência de gênero é uma violação dos direitos fundamentais e um obstáculo ao progresso e à igualdade de gênero em nossa sociedade.

Exigimos que o caso da Sra. Flávia Sacramento seja investigado com a máxima urgência e rigor, e que os responsáveis por essa agressão sejam devidamente responsabilizados. É fundamental que a justiça seja feita e que medidas sejam tomadas para evitar que episódios semelhantes ocorram no futuro.

Além disso, solicitamos a implementação de políticas públicas efetivas que promovam a conscientização sobre a igualdade de gênero, o respeito aos direitos das mulheres e a prevenção da violência contra elas. É necessário investir em programas de educação, sensibilização e capacitação dos agentes de segurança pública para que a proteção e o amparo às mulheres sejam prioridades em todas as instâncias do Estado.

Nós, enquanto sociedade, não podemos compactuar com atos de violência e discriminação contra as mulheres. É nosso dever lutar por uma sociedade mais justa, igualitária e livre de qualquer forma de opressão. A violência contra a mulher não pode e não será tolerada.

Por fim, gostaria de reforçar o meu apoio e solidariedade à Sra. Flávia Sacramento e a todas as mulheres que já sofreram ou sofrem violência. Juntos, iremos trabalhar incansavelmente para combater e erradicar esse grave problema social.

Atenciosamente,

Laizza Carvalho

Presidente da União Brasileira de Mulheres – UBM de Feira de Santana, Bahia.
 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 13 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/