Baiana System sacode multidão no circuito Osmar nesta segunda de Carnaval

Carnaval‘Toda fé e toda paz’

Baiana System sacode multidão no circuito Osmar nesta segunda de Carnaval

Fãs acompanharam o Navio Pirata, nome do trio elétrico do grupo

Crédito: Divulgação

Guiando o Navio Pirata, o Baiana System chegou na avenida nesta segunda-feira (12) de carnaval, arrastando um mar de gente ao som de "Batukerê: Toda Fé, Toda Paz", que marca sua folia em 2024 no seu décimo Carnaval. "É a primeira vez que a gente toca essa música aqui e pra gente hoje é uma celebração. O ano dez do navio. É só amor", explicou o vocalista da banda Russo Passapusso.

Os fãs acompanharam o navio fielmente dançando, cantando, fazendo rodas. "É algo indescritível só entende quem vai atrás do trio", disse a nutricionista Lorenna Fracalossi, que acompanha a banda desde o início. "Antes eram 50 pessoas e hoje tá esse mar de gente e eu não posso deixar de curtir. Também o fato de não ter corda acaba sendo mais democrático, eu prefiro", destacou.

Ao longo do percurso, a banda recebeu participações de Margareth Menezes, Larissa Luz, Vandal e Melly, com o repertório da banda e também dos artistas convidados. "Carnaval é a festa do povo. A gente vai apresentar conexões com a ancestralidade. E a gente também tem uma conexão maravilhosa aqui no Centro, onde tem as arquibancadas que permitem uma boa interação com o público", afirmou o vocalista Russo.

No meio da pipoca, o pesquisador Lucas de Jesus Santos disse que curtir o Navio do baiana é incrível porque vai muito além da dança, é pra curtir a mensagem deles. "Quando o Baiana pega o Navio Pirata e coloca na pipoca é justamente a mensagem de trazer essa festividade de abraçar as pessoas", acrescentou.

A estudante Ana Claudia Tufi curtiu seu primeiro carnaval ao lado do pai que é fã da banda e que passou esse amor pra ela. "Tô muito feliz de estar aqui com meu pai nesse meu primeiro carnaval com o Baiana. Muito boa essa oportunidade de curtir trio sem cordas porque nem todo mundo tem como pagar e também acho que é uma conexão muito maior do artista com o público", destacou.

O trio sem cordas teve apoio do Governo do Estado. De acordo com Russo, pensar no governo é pensar na cidade. "A cidade faz parte da gente e a gente faz parte da cidade. Carnaval é respeitar esse direito da cidade". 

Veja também:

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 20 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/