ACM Neto diz que falta ações do Estado no extremo-sul da Bahia

PolíticaPré-campanha

ACM Neto diz que falta ações do Estado no extremo-sul da Bahia

Pré-candidato disse que se eleito vai criar um núcleo administrativo 

Crédito: Divulgação
O pré-candidato a governador ACM Neto (União Brasil) criticou nesta quinta-feira (30) o distanciamento do governo do PT com o Extremo Sul da Bahia e afirmou que, caso seja eleito, vai criar um núcleo administrativo na região com o objetivo de aproximar as instâncias da população. Ao lado do deputado federal Cacá Leão (PP), pré-candidato ao Senado, Neto cumpre agenda na região, onde visita oito municípios.

Pela manhã, ele realizou atos políticos nas cidades de Guaratinga e Jucuruçu, onde foi recebido, respectivamente, pela prefeita Marlene Dantas (União Brasil) e pelo prefeito Lili (PSDB). "O que mais ouvimos das pessoas aqui são queixas em relação ao distanciamento e ao esquecimento do governo do estado em relação ao Extremo Sul", disse o pré-candidato.
"A gente sabe que a distância territorial é muito grande daqui para a capital, mas isso não pode ser justificativa e nem desculpa para a ausência do estado. Vamos fazer um governo de proximidade, trazer o governo do estado para próximo da região", completou o ex-prefeito de Salvador.

Diante disso, ACM Neto reforçou o seu compromisso de que, caso seja eleito, criará um núcleo administrativo do governo do estado no Extremo Sul. Será um dos dois primeiros polos avançados que pretende abrir na Bahia, sendo o outro na região Oeste, conforme afirmou em visita àquela região no começo de junho.

"Serão núcleos não só para levar serviços, mas também levar poder de decisão e facilitar a vida de quem produz, acabar com essa burocracia. Não vou aceitar a velha desculpa da distância, que é o que acontece hoje. Eu quero o governo presente em toda a Bahia. A minha presença aqui é, sobretudo, para reafirmar a minha disposição permanente e do meu compromisso com todo o Extremo Sul da Bahia", disse.

Em ambas as visitas, Neto ouviu prefeitos se queixando da ausência do estado. Em Guaratinga, Marlene Dantas apontou a vulnerabilidade da segurança pública, pois só dois policiais atendem no município, em esquema de revezamento. Também citou a obra de uma ponte, que liga a sede aos distritos do município, que está licitada desde 2019 e ainda não foi realizada.

Em Jucuruçu, o prefeito Lili citou a obra de uma rodovia de apenas 12 km, ligando a sede do município à divisa com o estado de Minas Gerais, prometido pelo governo há 16 anos, mas que nunca foi realizada.

Mão-dupla

ACM Neto falou ainda que, além de criar os núcleos avançados, pretende aumentar a representatividade de pessoas de todas as regiões na sede do governo do estado, em Salvador. E que o Extremo Sul será contemplado, algo que não ocorre hoje, apesar da sua importância econômica e política para todo o estado.

"O desafio de qualquer governador que queira mudar a Bahia é fazer um governo plural, com ampla representação de todas as regiões. E, é claro, com pessoas do Extremo Sul. Eu acho que é um caminho de mão-dupla: levar a região para dentro do governo e trazer o governo para dentro da região. Exatamente por conta desse sentimento hoje de um certo esquecimento do governo", explicou o pré-candidato. 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 20 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/