Arthur Lira reclama com direção da Polícia Federal sobre divulgação de investigações

PolíticaNa bronca

Arthur Lira reclama com direção da Polícia Federal sobre divulgação de investigações

Ações da PF envolvem assessores do presidente da Câmara

Crédito: Divulgação

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), reclamou diretamente para o diretor-geral da Polícia Federal (PF), Andrei Rodrigues, do que considera "vazamento" de informações sobre as investigações que envolvem pessoas diretamente ligadas a ele.

Lira e Andrei falaram por telefone há alguns dias, quando o caso das vendas de kits de robótica superfaturados para prefeituras de Alagoas estava na manchete de todos os jornais e portais relevantes do país. Fotos de dinheiro vivo encontrado na casa dos investigados potencializavam a história.

O presidente da Câmara primeiro reclamou com os assessores parlamentares da PF, que atuam no Congresso. Eles então fizeram a ligação para que ele pudesse conversar diretamente com Andrei Rodrigues.

Os policiais disseram a Lira que a PF não tinha divulgado nenhum dado a jornalistas, mas que não tinha controle da circulação das informações, já que Ministério Público Federal, Controladoria-Geral da União e também os advogados dos envolvidos teriam acesso a elas.

Lira insistiu com a PF para que se comprometesse a evitar o vazamento de informações. O escândalo tem causado desgaste ao presidente da Câmara.

O caso foi revelado pela Folha de S.Paulo em abril do ano passado. Naquele ano, o governo de Jair Bolsonaro (PL) destinou R$ 26 milhões de recursos do MEC (Ministério da Educação) para a compra de kits de robótica por pequenas cidades de Alagoas.

As cidades que adquiriram os kits têm problemas básicos de infraestrutura, como faltas de salas de aula, de internet e até de água encanada.

Além disso, cada kit foi adquirido pelas prefeituras por R$ 14 mil, valor muito superior ao praticado no mercado e ao de produtos de ponta de nível internacional.

As investigações chegaram a Luciano Cavalcante, assessor mais próximo de Lira e que trabalhava na liderança do PP na Câmara.

Na segunda-feira (5), o assessor foi exonerado. 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 13 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/