Esquema vacinal de crianças deve estar completo para evitar polio e meningite

Saúde e Bem Estar​Saiba mais

Esquema vacinal de crianças deve estar completo para evitar polio e meningite

Caso suspeito de poliomielite reascendeu o alerta 

Crédito: Divulgação

A vacina é o meio eficaz de evitar uma série de doenças, principalmente em crianças, que devem ter o esquema vacinal completo, iniciado nas primeiras semanas de vida. Responsabilidade dos pais, a vacinação protege e evita sintomas graves de doenças como a meningite e a poliomielite, conhecida como paralisia infantil que mesmo erradicada no Brasil desde 1994, assustou o país com um caso suspeito no início do mês de outubro. Mesmo sendo descartado, esse caso serve de alerta para que a vacinação seja incentivada.

Mais conhecida como paralisia infantil, a poliomielite é uma doença contagiosa causada por vírus que pode infectar crianças e adultos e em casos graves pode acarretar paralisia nos membros inferiores. A única forma de prevenção da doença é a vacina, que deve ser aplicada em todas as crianças menores de cinco anos.

A meningite é a inflamação das meninges, membrana que envolve o cérebro, causada por infecção por microrganismos, vírus, bactéria e fungos. Entre os principais sintomas estão febre alta, forte dor de cabeça, rigidez no pescoço e dificuldade em movimentar a cabeça, vômitos, manchas na pele, sensibilidade à luz, confusão mental e moleza no corpo.

Segundo o Ministério da Saúde, entre 2007 e 2020, foram notificados 393.941 casos suspeitos de meningite no Brasil em adultos e crianças, sendo confirmados 265.644 casos de várias etiologias, viral, bacteriana, causada por fungos e parasitas. Para prevenir a meningite bacteriana, existem algumas vacinas. As vacinas disponíveis no calendário de vacinação da criança do Programa Nacional de Imunização são:

Vacina meningocócica C (Conjugada): protege contra a doença meningocócica causada pelo sorogrupo C.

Vacina pneumocócica 10-valente (conjugada): protege contra as doenças invasivas causadas pelo Streptococcus pneumoniae, incluindo meningite.

Pentavalente: protege contra as doenças invasivas causadas pelo Haemophilus influenzae sorotipo B, como meningite, e também contra a difteria, tétano, coqueluche e hepatite B.

Meningite B: Não é oferecida pelo SUS e protege contra a doença meningocócica invasiva causada pelo meningococo.

Meningocócica ACWY: protege contra infecções graves causadas pelos meningococos, tipo A, C, W e Y (meningite, meningococcemia).

A vacina meningocócica ACWY meningite B podem ser aplicadas em qualquer idade a partir dos 3 meses, contraindicada apenas o tipo B para idosos, que precisam ter orientação médica prévia. Ao se imunizar, as chances de contrair a forma mais grave da doença meningocócica é reduzida.

Para poliomielite, a vacina Hexavalente, protege contra difteria, tétano, coqueluche, haemophilus influenzae b, poliomielite e hepatite B, Pentavalente, que previne contra difteria, tétano, coqueluche, haemophilus influenzae b e poliomielite, além da dTpa-VIP, que também protege contra difteria, tétano, coqueluche e poliomielite, podendo ser aplicados em crianças de até 5 anos, e adultos que vão viajar para o exterior.

"A vacinação é um dos meios mais eficazes de conseguir reduzir o número de casos de uma doença, assim como do seu impacto na morbidade e mortalidade das pessoas. As meningites bacterianas, por exemplo, podem levar a pessoa ao óbito em até 24 horas devido a sua gravidade. Portanto, se vacinar é um ato de vida e de proteção", destacou Fabiana Porto.
 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 02 Março 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/