Polícia Federal intima dono do site bolsonaro.com.br a depor

PolíticaExplicações

Polícia Federal intima dono do site bolsonaro.com.br a depor

A página exibia críticas ao presidente Jair Bolsonaro

A Polícia Federal (PF) intimou para depor, em outubro, o dono do site bolsonaro.com.br, Gabriel Baggio Thomaz, no inquérito aberto a pedido do ministro da Justiça, Anderson Torres. A página exibia críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PL). A informação foi confirmada ao Uol pela defesa do dono do site.

O advogado de Gabriel, Guilherme Brenner Lucchesi, afirmou que seu cliente irá depor e argumentou que ele estava apenas exercendo o direito de crítica ao governo.

"As informações do site foram retiradas de matérias jornalísticas. Ele vai se defender no processo", disse Brenner.

Já a Polícia Federal disse que "não se manifesta sobre eventuais investigações em andamento".

Em agosto deste ano, Baggio Thomaz comprou o domínio bolsonaro.com.br, que já foi usado para divulgar as ações do governo, e passou a exibir conteúdo contrário ao presidente, inclusive com caricaturas que retratavam o chefe do Executivo como Hitler e o diabo.

O site viralizou nas redes sociais. Poucos dias depois, o ministro da Justiça, Anderson Torres, anunciou pelo Twitter que pediu a abertura imediata de um inquérito para investigar "crime contra a honra" de Jair Bolsonaro.

Na semana passada, a ministra Cármen Lúcia, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou que o site fosse retirado do ar por "extrapolar os limites da liberdade de expressão e promover propaganda negativa", o que é proibido pela Lei Eleitoral. 

 

Comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 02 Dezembro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.jornalfolhadoestado.com/

Cron Job Iniciado